Escândalos e Canalhas, Sarah MacLean

Oi, meus amores! Tudo bem com vocês? ❤

Hoje vim falar de “Escândalos e Canalhas”, a série que se tornou a minha favorita da Sarah MacLean, porque realmente amei cada um destes livros, os casais, os personagens secundários, enfim… Quem me conhece, sabe o quanto adoro um draminha, e todos os protagonistas têm histórias tocantes, marcadas por sofrimento em algum nível e que me emocionaram enquanto lia. Foi maravilhoso vê-los superar suas dores e encontrar um final feliz graças ao amor! Além disso, ainda temos as irmãs perigosas, mulheres incríveis que não se importam com as convenções da aristocracia e conquistaram um lugarzinho no meu coração. Com certeza, viraram algumas das minhas personagens favoritas da autora.

Saibam mais sobre cada um dos livros e minha opinião sobre eles a seguir…

Cilada Para Um Marquês

Sinopse:

Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina, é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.

Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.

No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o marquês de Eversley e futuro duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.

O marquês de Eversley está convicto de que lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?

Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Este livro é protagonizado por Sophie, a mais jovem das irmãs perigosas, cof cof, Talbot, as melhores personagens já criadas pela Sarah MacLean. Que mulheres maravilhosas! O pai delas não nasceu na aristocracia, mas ganhou o título numa mesa de cartas, e, desde então, elas vivem em meio à nobreza, mas sem serem realmente aceitas por ela. As irmãs são extravagantes demais e famosas pelos escândalos que protagonizam, e por se orgulharem disso, exceto Sophie.

Sophie detesta a hipocrisia e as rígidas regras de comportamento, e sente falta da vida simples que levava antes de o pai receber o titulo. Quando ela vê o cunhado, um poderoso duque casado com a mais velha das irmãs, traindo-a descaradamente e tratando-a de forma abominável, diz todas as verdades que ele merece ouvir e ainda o joga na fonte do jardim da anfitriã do baile. Só que a sociedade jamais poderia perdoar alguém que trata um duque daquela forma, por isso Sophie não tem escolha senão fugir.

Ela acaba esbarrando em Rei, um libertino com a terrível fama de se envolver com mulheres comprometidas. Sophie pede ajuda ao flagrá-lo fugindo pela janela do quarto de mais uma noiva desonrada, mas ele recusa. No entanto, ela não é do tipo que desiste e, além de roubar o cocheiro do marquês, troca de roupa com ele e embarca na carruagem em segredo. Só que o problema começa quando descobre que, em vez de se dirigir a Mayfair, onde mora, a carruagem de Rei se dirige à casa do pai dele. Então, Sophie muda seus planos e decide voltar ao lugar em que vivia antes de o pai receber o título e buscar o jovem que lhe prometeu casamento no passado.

O marquês tem motivos para odiar o pai e, agora que o duque está com o pé na cova, decide ir atrás dele para ofendê-lo em seu leito de morte, obtendo assim a vingança final contra o homem que destruiu sua felicidade no passado. Contudo, as coisas se complicarão quando descobrir a presença de certa “lady” em seu encalço…

A série não poderia ter começado de forma melhor. Sério, eu simplesmente adorei este livro! Tem a dose perfeita de romance e aventura, altas confusões e reviravoltas surpreendentes (perto do final, temos algumas revelações que fizeram meu queixo cair, mas adorei. Certo personagem me fez rir bastante e conquistou meu coração, mesmo que tenha aparecido pouco), além do toque sensual já conhecido da Sarah MacLean. 5 estrelas e meu amor todinho!

Amor Para Um Escocês

Sinopse:

Lillian Hargrove viveu sozinha por anos, reclusa, ansiando por amor e companhia. Desiludida de que todos os seus sonhos pudessem um dia se tornar realidade, a mais bela jovem da Inglaterra se envolve com um artista libertino e mentiroso, que promete amá-la para sempre e implora para que ela pose como sua musa para um escandaloso retrato.

Encantada pelo carinho e pela admiração que recebe dele, Lily aceita a proposta e se entrega de corpo e alma ao homem mais falso de Londres, mas fica exposta para toda a Sociedade, tornando-se motivo de piada e vergonha.

A jovem, entretanto, não esperava que um bruto escocês, recentemente intitulado duque de Warnick e nomeado seu guardião, atravessasse a fronteira da Inglaterra para impedir que a ruína a alcançasse.

Warnick chega em Londres com um único objetivo: casar sua protegida – que é bonita demais –, transferindo o problema para outra pessoa, e, em seguida, voltar à sua vida tranquila na Escócia, longe daquele lugar odioso que é Londres.

O plano parece perfeito, até Lily declarar que só se casaria por amor, e o duque escocês perceber que, aparentemente, há algo naquele país que ele realmente gosta…

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Este livro é protagonizado por Alec, um duque escocês que conhecemos em “Cilada para um Marquês” como um amigo próximo do Rei. Aqui descobrimos como ele recebeu o título, que parece carregar uma maldição, já que dezessete duques morreram praticamente em seguida, das formas mais absurdas possíveis, antes de ele receber o ducado (inclusive, melhor cena a que ele recebe a notícia. Rachei de rir). Devido a traumas do passado, Alec não tem o menor interesse em nada que o ligue à Inglaterra, por isso simplesmente finge que o título não existe. Ele sequer sabia da existência de uma protegida, o que só acontece quando a jovem acaba envolvida em um escândalo de proporções catastróficas, o que acaba obrigando-o a voltar ao lugar que tanto detesta.

Lily é considerada a mulher mais linda da Inglaterra, mas cometeu um erro que pode destruir sua vida para sempre. Por ser extremamente ingênua e solitária, ela foi facilmente seduzida por um homem terrível que a fez acreditar que era amada, convencendo-a a pousar nua, com a promessa de que o quadro seria só para ele. Só que tudo não passava de uma mentira sórdida, e o filho da mãe decide eternizar seu nome mostrando a obra ao público. E se, hoje em dia, a imagem de uma mulher pode ficar manchada quando um “nude” é vazado, imaginem naquela época… Não preciso falar mais nada, né? A única coisa boa (ou talvez não) de tudo isso é que finalmente seu tutor resolve dar as caras após ignorar sua existência durante tanto tempo.

Chegando à casa onde sua protegida vive, Alec decide que a única forma de minimizar a situação é fazendo-a se unir em matrimônio a alguém importante. O problema começa quando descobre que Lily só aceitará se casar se for por amor, então ele se lança na difícil missão de encontrar alguém que conquiste o coração da moça e a aceite apesar do escândalo. No entanto, com a convivência, uma crescente atração surge entre o duque e sua protegida, e logo fica claro que Lily não aceitará ninguém além dele. O difícil será convencê-lo de que é digno do amor dela…

Como os demais livros desta série, nós temos uma trama bem divertida e gostosa de ler, e nossos mocinhos passaram por muita coisa triste. Eu fiquei com uma dozinha conforme fui conhecendo a história da Lily, tiveram cenas que me fizeram chorar, principalmente uma em que o Alec visita o quarto dela (não vou dar spoiler, mas quem ler, reconhecerá na hora, e duvido que não sinta um aperto no peito também). E o baque não foi menor quando descobri o segredo do meu duque, aquilo que o faz odiar tanto a Inglaterra, principalmente a aristocracia. Só que valeu muito a pena vê-los superando o passado doloroso pouco a pouco e se rendendo ao que sentiam um pelo outro. O final, então, tem uma reviravolta que me fez gritar. Amei demais e super recomendo a leitura!

Perigo Para Um Inglês

Sinopse:

Malcolm Bevingstoke, o duque de Haven, viveu os últimos três anos na solidão auto-imposta, pagando o preço por um erro, e perdendo, para sempre, um amor. Mas Haven precisa de um herdeiro, o que significa que ele deve encontrar uma esposa até o final do verão. Há apenas um problema – ele já tem uma…

Depois de anos no exílio, Seraphina, a duquesa de Haven, retorna a Londres com um único objetivo – encontrar a felicidade, livrando-se do homem que partiu seu coração. Mas o marido lhe oferece um acordo: ela poderá ter sua liberdade, assim que encontrar uma substituta. Isso significa que terá que passar o verão com o marido que ela não quer, mas que, de alguma forma, não consegue resistir.

O duque tem apenas um verão para estar com a esposa e convencê-la de que, apesar do passado, ele poderá tornar o felizes para sempre, uma realidade todos os dias…

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Este se tornou meu livro favorito da Sarah MacLean, e, olha, isso foi uma completa surpresa, porque eu ODIEI o Malconn à primeira vista, quando o conheci em “Cilada para o Marquês” (quem leu, com certeza de se lembra da Sophie jogando ele no laguinho de peixes em certo baile), mas quando eu vi a história de amor dele com a Sera e fui conhecendo melhor o personagem, meu coração acabou se apertando pelo casal. Sofri tanto, gente!

O Malconn é um homem que foi criado para não acreditar no amor (inclusive, ele me lembra muito do Simon, de “Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir”), mas quando conheceu a Sera, todas suas crenças caíram por terra, graças ao sentimento arrebatador que o tomou pela bela e hipnotizante mulher, porém um erro terrível cometido por ela fez com que a mágoa separasse o casal. Ainda assim, teriam uma chance se certo evento chocante e terrível não tivesse levado Sera para longe, mas agora que está de volta, ela não quer mais saber de amor, apenas deseja sua liberdade de volta.

Malconn inventa um plano maluco, dizendo a Sera que dará o divórcio com uma condição: ela deve encontrar uma substituta adequada para o título de duquesa. Para isso, ele escolhe algumas jovens de boa família que protagonizarão o “Vai dar Namoro” (ou seria casamento?) do século XIX, mas na verdade ele não tem a mínima pretensão de libertar a esposa. Apenas quer usar este período juntos para tentar reconquistá-la. Só que isso não será nada fácil, porque Sera está realmente decidida a colocar fim ao casamento de uma vez por todas.

Existem inúmeras mágoas entre o casal, mas desde o início fica claro o quanto eles se amam. Eu terminei a leitura completamente apaixonada pelos dois, especialmente pelo Malconn. Que homem apaixonado, minha gente! A prova de amor que ele dá lá pertinho do final, então… Ai, só suspiros! Uma das melhores histórias que já li sobre perdão e segundas chances. Me encantou e me emocionou intensamente, ganhando o coraçãozinho de favorito no Skoob.

Além do casal principal, ainda vemos o surgimento de um casal secundário que, minha gente, promete um livro sensacional! E também tivemos a participação das irmãs perigosas, que foi uma diversão à parte. Amo demais essa família. Torcendo muito para ter mais delas no livro da Sesily. Tomara que a dona Sarah resolva escrever logo essa história!

E foi isso, meus amores! Vocês já conheciam esta série? Compartilham da minha opinião sobre ela ou têm uma completamente diferente? Contem-me tudo! E se não conheciam, espero que tenham gostado de conhecer. Obrigada pela visita, beijos e até o próximo post! 😘😘😘

P. S.: as demais séries da Sarah MacLean também já foram resenhadas no blog. Confiram minha opinião sobre “Os Números do Amor” aqui e sobre “O Clube dos Canalhas” aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s