O Clube dos Canalhas, Sarah MacLean

Oi, meus amores! Este ano, eu participei de uma leitura coletiva desta série, organizada pela Paola do ig @SonhandoHistorias (a mesma do “Projeto Os Bridgertons”, que participei no ano passado) e amei muito. Agora vim falar um pouquinho dela para vocês. Espero que gostem! ❤

Cronologicamente, “O Clube dos Canalhas” se passa logo após “Os Números do Amor” (confiram a resenha aqui, caso ainda não tenham visto), por isso recomendo que seja lida depois dela, até porque temos personagens que aparecem nas duas séries e é legal os conhecermos antes e depois, mas isso não é obrigatório, já que são independentes uma da outra.

“O Clube dos Canalhas” tem a melhor apresentação de todos os tempos, e eu não poderia deixar de mostrá-la a vocês. Vejam se tem como segurar a curiosidade depois de ler algo assim:

A série é protagonizada por quatro aristocratas que, por algum motivo, estão afastados da sociedade. Juntos, eles reinam no submundo londrino como donos do Anjo Caído, o clube de jogatina (e não só) mais exclusivo de Londres. Conheçam cada um deles e vejam minha opinião sobre seus respectivos livros a seguir…

Entre o Amor e a Vingança

Sinopse:

O que um canalha quer, um canalha consegue…

Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.

Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres.

Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança ― o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles, até mesmo seu coração.

Avaliação: 🌟🌟🌟

“Entre o Amor e a Vingança” nos traz a história de Michael, o marquês de Bourne, um lorde que perdeu tudo, exceto o título e o que estava associado a ele, em um jogo de cartas com o homem que deveria proteger o marquesado até Michael atingir a maioridade (e que de fato o fez, conseguindo aumentar o patrimônio em dez vezes, apenas para roubar tudo depois). Dez anos se passaram desde então, e junto de seus sócios, Bourne conseguiu construir uma fortuna maior do que a que perdeu, no entanto nunca se conformou com a derrota e sonha em recuperar tudo. Quando os bens que foram roubados de Michael voltam a trocar de mãos e convertem-se no dote de certa dama que conhecemos em “Onze Leis a Cumprir na Hora de se Seduzir”, ele finalmente tem a chance de reavê-los, bastando para isso se casar com a lady em questão.

No passado, Penélope fez o noivado dos sonhos, quase conseguindo o cobiçado posto de duquesa de Leighton, mas um escândalo envolvendo a família do duque e seu subsequente enlace com certa italiana de sangue quente, pôs fim aos planos de casamento. Agora, aos vinte e oito anos, Penélope já pode ser oficialmente considerada uma solteirona, mas seu pai ainda não desistiu de vê-la como uma mulher casada, por isso adiciona Falconwell, uma valiosa propriedade que anteriormente pertencia ao marquesado de Bourne, ao dote dela, o que acaba dando certo, embora não da forma esperada, quando Michael esbarra acidentalmente em Penélope durante uma incursão noturna da lady e decide raptá-la a fim de forçar o matrimônio.

Neste ponto, eu preciso confessar que este foi o único livro da série que não gostei tanto. Não que seja ruim, mas diversas coisas acabaram me incomodando ao longo da leitura.

Bourne e Penélope foram muito amigos durante a infância e a adolescência, o que fica bem claro graças às cartas trocadas entre eles, que abrem os capítulos do livro. Ninguém mais do que Penélope lamentou o que aconteceu a Michael, e ela fica felicíssima ao reencontrá-lo, apenas para começar a lamentar quando ele decide ser um verdadeiro babaca com ela. Eu não me conformo com a forma como ele a trata, e olha que eu amo raptos e brigas de cão e gato. E o que me enlouquece mais, é que o Bourne continua insistindo na vingança até o fim, em vez de se render ao amor que sente pela mulher. Vai ser cabeça-dura assim lá longe! A Sarah MacLean sempre arrasa na escrita e a leitura até me prendeu, só que passei muita raiva com esse homem, por isso decidi tirar duas estrelas na avaliação, mas leiam e tirem suas próprias conclusões.

Entre a Culpa e o Desejo

Sinopse:

Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece.

Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família.

Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger.

Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Entre a Culpa e o Desejo” nos traz a história de Jasper Arlesey, o segundo filho de um conde que sempre apreciou os vícios e prazeres que só aqueles poucos privilegiados por um nascimento entre a aristocracia podiam desfrutar, considerando-se ainda mais afortunado por não ter sobre si o peso e as responsabilidades que cabem ao primogênito. No entanto, um trágico acidente fez com que perdesse o irmão mais velho e recaísse sobre si o fardo de herdeiro do condado, algo que ele nunca desejou e para o qual nunca teve o menor preparo. E mais pesada que os deveres de um conde, é a culpa que sente pela vida desregrada que sempre levou e pela qual se julga, de certa forma, responsável pelo acidente que matou o irmão e deixou sua irmã caçula manca. Por causa disso, ele fugiu, deixando sua família para trás e trocando de nome no processo. Agora, muitos anos depois, Jasper é conhecido no submundo londrino como Cross, um dos quatro poderosos sócios do Anjo Caído, sendo responsável pela parte financeira do local.

Pippa é a irmã mais nova da mocinha de “Entre o Amor e a Vingança”. Inclusive, no livro anterior a Penélope se submeteu ao enlace com Bourne justamente para que as irmãs tivessem a oportunidade de conseguir um bom casamento, o que acabou dando certo, uma vez que Pippa já começa o livro estando noiva. E eu não posso deixar de dizer que personagem incrível e cativante ela é. Uma mulher inteligentíssima, mas, ao mesmo tempo, com pouquíssimo trato social, o que acaba fazendo com que passe por alguns perrengues e seja considerada estranha por algumas pessoas – e por si mesma, por culpa delas.

Pippa tem uma alma de cientista e simplesmente não aceita a ideia de entrar no matrimônio sem saber com o que estará lidando, por isso procura alguém que possa ensinar as artes do amor a ela. E assim seu caminho se cruza com o de Cross, uma vez que, pelos boatos escandalosos que ouve, ele parece ser a pessoa ideal para a tarefa. Cross sabe que seria loucura aceitar tal proposta, mas não pode evitar sentir-se intrigado pela dama de inteligência tão aguçada quanto a sua, nem consegue manter-se distante dela como deveria, ao menos se quisesse manter seus planos de ficar longe do altar, o que, de uma maneira ou de outra, não conseguirá fazer por muito tempo.

Cross descobre que sua irmã está à mercê do dono de um clube de jogatina “concorrente” do Anjo Caído, a quem seu cunhado deve muito, e o homem o chantageia para que se case com sua filha em troca de manter a honra da família intacta. É claro que ele não aceita isso passivamente e começa a trabalhar num plano para livrar a irmã do perigoso homem sem precisar submeter-se a um matrimônio indesejável, enquanto seu coração bate cada vez mais forte por Pippa.

Este é o livro mais fofo da série, e eu amei demais esta história! Inclusive, aqui teve algo que me fez gritar: é a Pippa quem salva o dia, e não o Cross. Não é maravilhoso? #girlpower Leiam e descubram como isso acontece, encantando-se por este casal apaixonante no processo!

Entre a Ruína e a Paixão

Sinopse:

Uma noiva desaparecida na véspera de seu casamento. Um poderoso duque acusado de assassinato. Uma noite que mudou duas vidas para sempre.

Temple viu seu mundo desmoronar quando acordou completamente nu e desmemoriado em uma cama repleta de sangue. Destituído de seu título e acusado de assassinato, o jovem duque foi banido da sociedade. Doze anos depois, recuperado em sua fortuna e seu poder como um dos sócios do cassino mais famoso de Londres, sua redenção surge quando a única pessoa que poderia provar sua inocência ressurge do mundo dos mortos.

Após doze anos desaparecida, Mara Lowe se vê obrigada a reaparecer quando seu irmão perde toda a fortuna da família nas mesas do cassino do homem cuja vida ela arruinou.

Temple quer provar a todos que é inocente e, sobretudo, se vingar e destruir a vida daquela mulher, enquanto Mara precisa enfrentar o passado para recuperar seu dinheiro. Assim, os dois formam um acordo obsceno que os une em um jogo de poder e sedução.

Mas ambos descobrem que a realidade esconde muito mais do que as aparências revelam e eles se veem em uma encruzilhada na qual precisam escolher entre lavar a honra do passado e garantir o futuro ou ceder ao desejo de se entregarem de vez à irresistível atração que sentem um pelo outro, mas que pode arruiná-los para sempre.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que, contrariando a maioria dos leitores, “Entre a Ruína e a Paixão” virou o meu livro favorito da série. Ele me prendeu desde o comecinho, e eu adorei cada página. Mara e Temple são um casal que foge bastante ao esperado e têm uma história muito intensa, muito emocionante, cheia de revelações e reviravoltas. Ai, já falei que amei?

Sem querer, Mara acabou destruindo a vida de Temple no passado, em uma armação que fez para livrar-se de um casamento indesejado com um homem que tinha idade para ser seu pai. Muita gente odeia a personagem por conta disso, mas, cara, ela era uma menina. Para mim, a justificativa de tudo é perfeitamente plausível. Basta pensar em como era difícil a situação das mulheres da época. De que outra forma uma garota de 16 anos, que sofreu a vida inteira nas mãos de um pai violento, poderia se livrar de uma situação tão difícil?

Temple é aquele homem enorme, perigoso, que, à primeira vista, dá a impressão de ser um verdadeiro ogro, mas não passa de um ursão. Que homem fofo, meu Deus! Dava vontade de pegar no colo algumas vezes. Só que ele tem, sim, um lado bruto, com aquela pegada mais forte, mas adorei isso! Tem duas cenas no ringue de boxe, em especial, que fazem a temperatura subir bastante…

Mais do que tudo, Temple deseja limpar seu nome e recuperar a vida que perdeu, voltando a ser aceito no círculo ao qual pertence por direito, mas conforme vai conhecendo Mara e descobrindo sua história, menor se torna o desejo de vingança e a vontade de destruí-la no processo, e maior, a atração que sente por ela. Será que é possível um final feliz após tantas mágoas e tanto sofrimento? É claro que sim, mas precisarão devorar este livro para descobrir como.

Nunca Julgue Uma Dama Pela Aparência

Sinopse:

Para a aristocracia, Lady Georgiana é a pobre irmã de um duque, rejeitada pela família após ter sido arruinada no pior tipo de escândalo possível: uma mulher que fez escolhas infelizes ao entregar-se de corpo e alma para um rapaz que todos desconhecem.

Mas a verdade é sempre muito mais chocante! Nos recônditos mais obscuros de Londres, Lady Georgiana é a mulher mais poderosa da Grã-Bretanha, a rainha do submundo londrino, e atende pelo nome de Chase, o lendário e temido fundador do cassino mais exclusivo da cidade, o Anjo Caído.

Circulando disfarçada pelos corredores de seu império, Chase sabe dos piores segredos dos figurões da sociedade e tem todos os poderosos na palma de sua mão, mas durante anos os seus próprios mistérios nunca foram descobertos. Até agora!

Brilhante, inteligente e bonito como o pecado, o jornalista Duncan West está intrigado com a linda mulher que de alguma forma está ligada a um mundo de trevas e perdição. Ele sabe que Georgiana é muito mais do que parece e promete desvendar todos os seus segredos, expondo seu passado, ameaçando seu presente e arriscando tudo o que ela tem de mais precioso. Inclusive seu coração.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

O livro que fecha a série nos traz a história do misterioso Chase, ou melhor, de Georgiana, a irmã de Simon, o duque de Leighton, que conhecemos em “Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter”. Quem leu, certamente se lembra da difícil situação na qual ela se encontrava: desonrada e grávida.

Após dar à luz à filha, Georgiana se afastou da sociedade e construiu um verdadeiro império nas sombras, no entanto, quando certo cartum ridicularizando a filha e ela é publicado, a lady percebe que nem todo o dinheiro, nem todo o poder que possui é capaz de proteger a filha da mácula da bastardia. Georgiana se dá conta de que a única forma de realmente dar um futuro digno a ela é se casando com um lorde com um título importante o bastante para calar as línguas maldosas. Para isso, precisa voltar aos holofotes.

Duncan West, o dono dos jornais e um homem tão rico quanto Creso (sempre quis dizer isso), sente-se culpado por, sem querer, ter envolvido uma criança nas notícias escandalosas que posta em seu jornal mais antigo, o (reparem que nome mais perfeito) Escândalo. Assim, ele decide ajudar Georgiana a limpar sua imagem. No entanto, quando descobre a identidade, ou melhor, uma das identidades que ela usa no “Anjo Caído”, percebe que também pode obter algo da bela dama.

West tem um passado obscuro que o persegue até hoje, na forma do perigoso e cruel conde de Holborn. A única forma de se livrar das chantagens é encontrando um segredo tão sujo quanto o seu, e o único que possui tamanho poder é Chase…

Georgiana e West vão se envolvendo cada vez mais, mesmo sabendo que não possuem um futuro juntos, e é apaixonante e extremamente envolvente a forma como Sarah MacLean conduziu a história dos dois. E eu preciso confessar que não botava muita fé no West como protagonista, porque para mim, desde o início, ficou claro que quem realmente brilharia aqui seria a Georgiana, mas, Senhor, como eu me enganei! Este homem é maravilhoso e me fez sentir coisas enquanto lia. Delícia demais, sério! Os interlúdios sexuais e as provocações entre a Georgiana e ele fizeram a temperatura subir bastante aqui em casa. Recomendo muito este livro, que encerrou “O Clube dos Canalhas” da melhor forma possível e me deixou ansiosa para ler a próxima série da autora: “Escândalos e Canalhas”.

Quem quiser ler e tá com pouca grana (cof cof, eu), o box de “O Clube dos Canalhas” está disponível gratuitamente para quem assina o Kindle Unlimited (clique aqui para baixá-lo e ler).

E aí, já conheciam a série? O que acham dela? Se não conheciam, curtiram conhecer? Contem-me tudo! Obrigada pela visita, beijos e até o próximo post! 😘😘😘

4 comentários sobre “O Clube dos Canalhas, Sarah MacLean

  1. Olá! Adorei a sua resenha dos livros! Estou terminando o quarto livro e estou apaixonada pela saga inteira, contudo, tenho que concordar, o Michael é difícil de lidar.
    Muitas vezes o comportamento dele me deixou muito desconfortável, pois considerei muitas atitudes desnecessárias, mas para minha alegria a Penélope não deixa barato! Isso me faz dar 4 estrelas, se não, daria só três. Honestamente, segui com a saga desconfiada, se os outros protagonistas fossem iguais eu teria parado de ler.
    Mas não são e entre os outros três livros, não sei escolher qual é o meu favorito! Cross e Pippa, Mara e Temple, Giorgie e West. São maravilhosos! 😍

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Cris! Fico feliz que tenha curtido a resenha. E pelo visto, vc é mais indecisa do que eu, mas é difícil se decidir entre três livros maravilhosos mesmo rss
      E é verdade, a sorte do primeiro livro é que a Penélope é maravilhosa. Ainda bem que não desistiu por causa do Bourne.
      Obrigada pela visita e pelo comentário, beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s