Resenha: Os Ravenels, Lisa Kleypas

Oi, meus amores! Tudo bem? ❤

Finalmente vim falar daquela que é, sem dúvida, a melhor série da Lisa Kleypas, e só minha opinião importa nesse caso! Eu amei “As Quatro Estações do Amor” e “Os Hathaways” (resenhas aqui e aqui), mas sempre tiveram aqueles livros que me deixaram com a sensação de que faltava alguma coisa, só que não é o caso de “Os Ravenels”. Foram seis livros com personagens absolutamente cativantes e histórias de amor que mexeram profundamente comigo, me divertiram, me emocionaram e conquistaram meu coração.

Lisa Kleypas acertou em cheio ao trazer uma série familiar que foge um pouco ao que estamos acostumados, já que não mostra apenas um grupo de irmãos se apaixonando um após o outro. Ela também trouxe primos e filhos ilegítimos, o que rende uma boa diversidade de personagens. Não quis dizer no sentido representativo da coisa, já que “Os Hathaways” continua sendo a melhor nesse quesito, mas, sim, diversidade de vivências e experiências. E ela continua trabalhando divinamente as mudanças sociais da época, mostrando a crescente ascensão da burguesia, enquanto a aristocracia perde cada vez mais força.

Saibam mais sobre cada um dos livros a seguir…

Um Sedutor Sem Coração

Sinopse:

Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.

A propriedade está afundada em dívidas, e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.

Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.

Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?

“Um Sedutor sem Coração” inaugura a coleção “Os Ravenels” com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

No primeiro livro da série, conhecemos Devon e West, dois irmãos que têm parentesco com a aristocracia, mas não estavam destinados a herdar nenhum título. Só que o primo deles morre num “acidente” com o cavalo da esposa e Devon acaba se tornando o conde.

A propriedade de campo da família está jogada às traças, então a intenção dele é se livrar dela o mais rápido possível e voltar pra vida despreocupada e cheia de libertinagem que leva em Londres. No entanto, chegando lá, Devon descobre que, além da viúva do primo e das irmãs dele, ainda é responsável por inúmeros arrendatários cujo sustento depende totalmente do que é produzido ali. É quando decide arregaçar as mangas e trabalhar para devolver o lugar à sua antiga glória, o que se provará um desafio e tanto, menor apenas que a dificuldade de resistir aos encantos de Kathleen, a condessa-viúva.

Aqui temos um romance cão e gato extremamente envolvente e delicioso de acompanhar. Devon e Kathleen têm uma química incrível, eu amei a forma como a relação deles foi construída. Foi um começo muito promissor pra série! Além do casal principal, Lisa conseguiu apresentar diversos personagens que me conquistaram de cara: as três irmãs Ravenel, que foram criadas longe da sociedade e por isso possuem pouco traquejo social (tirando Helen, que é linda e possui tudo para brilhar nas temporadas londrinas); Rhys Winterborne, o dono da maior loja de departamentos de Londres, a quem Devon quer empurrar uma das irmãs, conseguindo assim o dinheiro necessário para investir na propriedade (mini-spoiler: ele é o protagonista do segundo volume da série, e o romance já começa a ser desenvolvido aqui. É lindo demais, sério! Já virei cadelinha do Rhys nesse livro mesmo); Tom Severin, um homem de negócios ambicioso capaz de tudo para se dar bem e ficar ainda mais rico; e o próprio West, que é o personagem que mais cresce e evolui na história. Leitura mais do que recomendada!

Uma Noiva para Winterborne

Sinopse:

Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer – nos negócios e em tudo mais.

No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda.

Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão.

Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade.

Com uma trama recheada de diálogos bem-humorados e cenas sensuais e românticas, “Uma Noiva para Winterborne” é o segundo volume da coleção “Os Ravenels”.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Uma Noiva para Winterborne” é de longe um dos melhores livros da Lisa. O romance mostrado aqui começou a ser desenvolvido ainda em “Um Sedutor Sem Coração”, quando o Rhys sofreu um acidente e achou que ficaria cego, aí a Helen acabou fazendo companhia e ajudando a cuidar dele em um momento tão difícil. Os dois formam um daqueles casais que a gente shipa desde a primeira interação, de tão marcante que é. No entanto, a relação é construída aos poucos.

No final do livro anterior, aconteceu uma situação que fez com que Devon decidisse afastar Helen de Rhys, só que ela já está envolvida com o empresário e, por causa disso, decide dar uma escapadinha noturna e bater à porta dele, pedindo para ser desonrada para que o primo não tenha escolha senão autorizar o casamento. A gente é realmente pega de surpresa com essa atitude, porque, à primeira vista, Helen parece uma daquelas personagens bem passivas, que aceitam de cabeça baixa que decidam o destino dela. Só que as aparências enganam e existem muita força e determinação por trás da fachada tranquila, o que fez com que ela me ganhasse logo nas primeiras páginas. E não foi a única…

Acho que existe uma lei que garante que todo Rhys literário seja maravilhoso, porque não é possível. Todos os que eu conheço são simplesmente perfeitos. O Winterborne é daqueles que não fazem grandes declarações de amor, mas que demonstram, com as atitudes, o quão importante a mulher é para eles. Ele cuida da Helen de uma forma tão bonita que, sério, me arrancou muitos suspiros. Virou meu segundo mocinho preferido da Lisa, superado apenas por um outro dessa mesma série…

Em “Um Sedutor Sem Coração”, nós descobrimos que a Helen tinha um segredo, e isso é trabalhado aqui. É uma das partes mais legais da história e traz uma dose de drama que deixa a trama muito mais densa e nos rende uma cena, lá perto do final, que aquece nosso coração de uma forma que eu não esperava. Lindo demais, entrou pra seleta lista de romances de época favoritos da vida.

Um Acordo Pecaminoso

Sinopse:

Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente.

Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho.

Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la.

Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual como só Lisa Kleypas é capaz de criar.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Um Acordo Pecaminoso” traz a história de Pandora, a Ravenel que mais foge ao padrão do que era considerada uma dama inglesa adequada. Ela tem uma personalidade forte, detesta bailes e conversas enfadonhas com homens que só sabem falar de si mesmos e não quer saber de casamento. Em vez disso, seu sonho é criar o melhor jogo de tabuleiro e ganhar dinheiro suficiente para não depender de homem nenhum. Só que da mesma forma que acontece com aqueles libertinos que tanto amamos, que fogem do altar, as coisas não ocorrem da forma como ela imagina.

Em mais um baile da temporada londrina, Pandora acaba envolvida em um escândalo com Gabriel, ninguém menos que o atual lorde St. Vincent, filho de certo ex-devasso que conhecemos em “Pecados no Inverno” e conquistou nosso coração todinho. E ele não deixa nada a dever em relação ao pai (inclusive, preciso confessar que achei o Gabriel uma versão melhorada do Sebastian. Gamei com força!). Como um homem honrado, ele logo trata de propor casamento a Pandora, que não fica nada feliz e declina ao pedido. Só que existe algo na jovem que faz Gabriel querer tomá-la para si, e a oportunidade perfeita de conquistá-la surge na forma de um convite para que a família e ela passem um tempo na propriedade de campo do pai, onde poderão se conhecer melhor e ver se não descobrem mais pontos em comum do que esperavam a princípio.

O romance é lindo demais. Pandora é simplesmente incrível: forte, decidida, que luta por seus sonhos e não desiste do que quer por nada. E aqui descobrimos que ela já passou por muita coisa na vida, sofrendo na mão daquele que mais deveria amá-la e protegê-la. Eu realmente não esperava me emocionar tanto com a história dela. E uma coisa muito legal é que o livro tem um clima forte de perigo, porque, sem querer, Pandora acaba testemunhando algo que não deveria, e isso faz com que se torne um alvo.

Além do romance e do mistério, a melhor coisa desse livro foi matar a saudade dos personagens que nos conquistaram em “As Quatro Estações do Amor”. Sebastian só melhorou com o tempo, eu gosto muito mais da versão madura dele como pai de família do que da versão mais jovem. E revemos também nossas adoradas Flores Secas, que continuam tão amigas quanto eram na juventude. Torço muito para elas aparecerem mais nos próximos livros da Lisa.

Um Estranho Irresistível

Sinopse:

A autora de best-sellers do The New York Times, Lisa Kleypas, lança o conto de uma jovem de beleza não convencional que encontra em um espião uma irresistível paixão.

Uma mulher que desafia seu tempo.

Dra. Garret Gibson, a única médica mulher na Inglaterra, é tão ousada e independente quanto qualquer homem – por que não lidar com os próprios desejos como se fosse um? No entanto, ela nunca ficou tentada a se envolver com alguém, até agora. Ethan Ransom, um ex-detetive da Scotland Yard, é tão galante quanto secreto, e sua lealdade é um verdadeiro mistério. Em uma noite emocionante, eles cedem a uma poderosa atração mútua antes de se tornarem estranhos novamente.

Um homem que quebra todas as regras.

Ethan tem pouco interesse pela alta sociedade, mas é cativado pela preciosa e bela Garrett. Apesar da promessa de resistir um ao outro depois daquela noite sublime, ela logo será atraída para sua tarefa mais perigosa. Quando a missão dá errado, Garret usa toda a sua habilidade e coragem para se salvar. À medida que enfrentam a ameaça de uma traição do governo, Ethan fica disposto a assumir qualquer risco pelo amor da mulher mais extraordinária que já conheceu.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Em “Um Estranho Irresistível”, Lisa Kleypas traz como protagonista uma mulher que realmente existiu: Garrett Gibson, a primeira médica a atuar na Inglaterra. É claro que o romance contado aqui é fictício, mas eu amei que a autora tenha criado uma história de amor tão linda com alguém tão incrível. E Ethan, o nosso mocinho, é igualmente maravilhoso: um homem misterioso que atua como espião para o governo inglês.

Nós conhecemos Garrett e Ethan no segundo volume da série e já ficamos curiosos para saber mais sobre eles, sou muito grata à Lisa por ter dado um livro inteirinho só pros dois. Essa é de longe a história mais diferente que li da autora até agora, por trazer personagens que levam vidas normais, ou melhor, que não pertencem à aristocracia, já que de normal a vida deles não tem nada.

Desde que conheceu Garrett, Ethan não consegue parar de pensar nela e, quando descobre que a médica costuma andar sozinha pelas ruas de Londres, decide começar a segui-la de longe a fim de mantê-la a salvo dos elementos perigosos que andam pela cidade, loucos para pegar uma mulher desprotegida. Só que, logo no começo do livro, Garrett é atacada por um grupo de homens mal-encarados e se mostra mais do que capaz de proteger a si mesma, o que acaba impressionando Ethan. Ainda assim, ele resolve continuar a vigília, afinal nunca se sabe se ela vai precisar de ajuda, né? Ou será que isso não passa de desculpa para se manter por perto?

Apesar de não se achar o homem certo para a médica e tentar manter distância, Garrett e ele acabam se aproximando e vivendo um romance sensual e apaixonante. No entanto, a traição vinda de um lugar inesperado colocará os dois em perigo. Ethan fará de tudo para manter a mulher que ama segura, mesmo que tenha que arriscar a própria vida para isso. Contudo, em um momento difícil, será ela a salvá-lo das garras da morte. Se quiserem saber como, terão que se jogar na leitura, mas garanto que valerá muito a pena.

Ah sim, não posso deixar de falar que Ethan tem um segredo que faz com que essa história se conecte com perfeição às demais da série. Vocês vão adorar descobrir qual é!

Uma Herdeira Apaixonada

Sinopse:

Embora a bela e jovem viúva Phoebe, lady Clare, nunca tenha conhecido West Ravenel, ela sabe uma coisa com certeza: ele é mau e um valentão podre. Quando estava no colégio interno, ele fez da vida de seu falecido marido uma desgraça, e ela nunca o perdoará por isso. Mas quando Phoebe participa de um casamento de família, encontra um estranho arrojado e impossivelmente charmoso, que a abala com um choque de atração de fogo e gelo. E então ele se apresenta… como ninguém menos que West Ravenel.

West é um homem com um passado manchado. Sem perdão, sem desculpas. No entanto, a partir do momento em que conhece Phoebe, West é consumido por um desejo irresistível… sem mencionar a amarga consciência de que uma mulher como ela está fora de seu alcance. O que West não imagina é que Phoebe não é uma dama aristocrática. Ela é filha de uma Wallflower obstinada que há muito tempo fugiu com Sebastian, lorde St. Vincent – o libertino mais diabolicamente perverso da Inglaterra.

Em pouco tempo, Phoebe começa a seduzir o homem que despertou sua natureza ardente e lhe mostrou um prazer inimaginável. Sua paixão avassaladora será suficiente para superar os obstáculos do passado?

Só a filha do diabo sabe…

A autora de best-sellers do New York Times, Lisa Kleypas, conta uma história brilhante de uma linda e jovem viúva que encontra paixão no homem que ela não deveria…

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Uma Herdeira Apaixonada” é o volume mais aguardado da série, protagonizado por ninguém menos que West, um dos personagens mais marcantes de “Os Ravenels”. Ele é de longe quem mais cresceu ao longo dos livros, e preciso confessar que me ganhou completamente já em “Um Sedutor Sem Coração”.

West se envolve com Phoebe, a filha mais velha de Sebastian e Evie, os protagonistas de “Pecados no Inverno”. Ela viveu um grande amor com um homem que estava fadado a morrer cedo, mas mesmo assim decidiram aproveitar ao máximo o tempo que tinham um com o outro, e essa linda relação deu dois frutos. No entanto, o destino é inexorável e não tardou a deixar Phoebe viúva. Desde então, ela vive para cuidar do interesse dos filhos.

Phoebe detesta West profundamente, porque, ainda na época de escola, ele fez da vida do marido dela um inferno. No entanto, durante sua estadia na propriedade Ravenel para o casamento do irmão, Phoebe vai conhecendo West melhor e descobrindo que ele é um homem bem diferente do que acreditava. O coração dos dois começa a bater num só compasso, mas os dias voam rapidamente e eles precisam se separar. Só que, no retorno para casa, surge uma situação em que Phoebe precisa recorrer à ajuda de West e, quanto mais tempo passam juntos, mais ela reconhece o homem honrado que ele se tornou, porém West tem uma péssima imagem de si mesmo e não será nada fácil convencê-lo de que é digno do amor da viúva.

Além do romance, algo que deixou meu coração quentinho foi a relação do West com os filhos da Phoebe. Foi tão fofa, tão bonita! É por isso que amo tanto livros com crianças. Se também curtem, esse será mais um motivo que fará vocês amarem esse homem. Enfim, livro maravilhoso do início ao fim, adorei e super recomendo!

Pelo Amor de Cassandra

Sinopse:

Tom Severin, o magnata das ferrovias, tem dinheiro e poder suficientes para realizar todos os seus desejos. Por isso, quando resolve que está na hora de se casar, acha que deve ser fácil encontrar a esposa perfeita. Assim que ele pousa os olhos em lady Cassandra Ravenel pela primeira vez, decide que ela é essa mulher.

O problema é que a bela e perspicaz Cassandra é tão determinada quanto ele, e faz questão de se casar por amor – a única coisa que Tom não pode oferecer. Além disso, ela não tem o menor interesse em viver no mundo frenético de alguém que só joga para vencer.

No entanto, mesmo com o coração de gelo, ele é o homem mais charmoso que Cassandra já conheceu. E quando um inimigo recém-descoberto quase destrói a reputação dela, Tom aproveita a oportunidade que estava esperando para conquistá-la.

Ao contrário do que pensa, porém, ele ainda não conseguiu o que queria. Porque a busca pela mão de Cassandra pode até ter chegado ao fim, mas a batalha por seu coração está apenas começando.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Pelo Amor de Cassandra” não é só o melhor romance da série, mas também um dos mais lindos que li na vida. Sério, pensem num livro que nos diverte, nos emociona, faz a gente sentir calor e acelera nosso coração em vários momentos, esse é o exemplo perfeito.

Assim como Rhys Winterborne, Tom é o meu tipo de mocinho favorito: que se acha inatingível, não quer se apaixonar e passa longe de ser bonzinho, pelo contrário, comete inúmeros erros que fazem valer a reputação ruim que possui, mas que, ao conhecer a mulher certa, sente o coração bater mais forte e passa a fazer de tudo para conquistá-la e torná-la feliz. E a Cassandra também é incrível: uma mulher doce e romântica, dona de um coração enorme, mas que sabe o que quer e não aceita menos que isso. Mulherão da p**** que se chama!

A Lisa Kleypas construiu a relação dos dois de uma forma tão maravilhosa, que me fez dar gritinhos histéricos a cada interação do casal. A primeira vez que eles se veem já é daquelas cenas que a gente ri e tem vontade de chorar ao mesmo tempo. Dá pra perceber que Tom ficou de quatro ali mesmo, mas pensem num homem que demora a se dar conta de que está apaixonado. Inclusive, é muito divertida a forma como Cassandra tenta explicar os sentimentos ao Tom: dando livros para ele ler e tentar extrair a mensagem passada pelo autor. Eu ri muito vendo-o sem entender nada, porém, quando finalmente percebe o quanto está amando essa mulher, é a coisa mais linda do mundo. Só lendo para entender, então não percam tempo e deem já uma chance a essa história!

E é isso, meus amores! Vocês já leram algum livro dessa série? Me contem o que acharam! Se não, torço muito para que tenham ficado curiosos, porque foi uma das melhores leituras que fiz nos últimos tempos.

Obrigada pela visita, beijos e até o próximo post! 😘😘😘

Um comentário sobre “Resenha: Os Ravenels, Lisa Kleypas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s