Trilogia Os Irmãos McCabe, Maya Banks

Oi, meus amores! Tudo bem com vocês? Hoje eu vim trazer a resenha de uma série de época escrita por uma autora que é dona do meu coração todinho ❤

Não sei explicar o que a Maya Banks tem na escrita que me prende tanto, eu simplesmente não consigo largar uma obra dessa mulher antes de chegar à última página. Os personagens, a escrita, a forma como ela conduz o enredo, os desfechos… Tudo, absolutamente TUDO mexe comigo de uma forma única. Não teve como ela deixar de ser minha autora de época favorita, por mais romances que eu tenha lido nestes dois últimos anos desde que finalizei “O Mais Desejado dos Highlanders”. Agora estou oficialmente órfã, já que li tudo que tinha para ser lido sobre os highlanders dela. E, por mais que “Os Irmãos McCabe” não tenha proporcionado uma experiência de leitura tão plena quanto “Montgomery e Armstrong”, graças a alguns fatores que especificarei nas resenhas de cada livro, eu amei demais a trilogia.

Conheçam cada um dos irmãos e saibam mais sobre suas apaixonantes histórias a seguir…

Atraída por um Highlander

Sinopse:

Ewan, o mais velho dos irmãos McCabe, é um guerreiro decidido a destruir o seu inimigo. Agora que o momento é ideal para a guerra, os seus homens estão preparados e Ewan quer reaver aquilo que lhe pertence – até que uma tentação de olhos azuis e cabelo negro atravessa o seu caminho. Mairin pode muito bem ser a salvação para o clã de Ewan, mas, para um homem que sonha com vingança, as questões do coração são um território desconhecido a conquistar.
Mairin é filha ilegítima do rei e é senhora de propriedades valiosas que a obrigaram a esconder-se e a desconfiar do amor. Os seus piores receios acabam por acontecer quando é salva do perigo, mas depois obrigada a casar com o seu salvador, Ewan McCabe, um homem carismático que está habituado a mandar. Mas a atração que sente pelo seu novo marido fá-la desejar o seu toque; o seu corpo ganha vida com a mestria sensual dele. E à medida que a guerra se aproxima, as forças, o espírito e a paixão de Mairin obrigam Ewan a derrotar os seus próprios fantasmas e a entregar-se a um amor que significa mais do que a vingança e a terra.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

“Atraída por um Highlander” nos traz a história de Mairin, a filha bastarda do falecido rei, que recebeu como dote uma cobiçada propriedade e, por causa disso, foi obrigada a esconder-se num convento até escolher um marido para protegê-la e reivindicar as terras em seu nome. No entanto, essa escolha lhe é roubada quando o abrigo religioso é profanado por Duncan Cameron, um homem cruel que deseja tomar Mairin e tudo que lhe pertence como seus. Levada contra sua vontade, suas perspectivas de futuro são sombrias, até que, por um milagre, consegue escapar e, por um acaso do destino, cair nas mãos de Alaric McCabe, que a leva para seu clã, colocando-a sob a proteção do laird, seu irmão mais velho, Ewan, de quem, sem saber, Mairin salvara a vida do filho.

No passado, o clã McCabe foi praticamente destruído por Duncan Cameron, após sofrer uma terrível traição. Agora, muitos anos depois, as consequências do ocorrido ainda são sentidas pelos membros do clã. No entanto, a chegada de Mairin traz um vislumbre de esperança de que os tempos sombrios possam ficar para trás e os McCabe finalmente tenham sua merecida vingança contra seu algoz. E assim que a identidade da jovem é descoberta – a despeito dos esforços de Mairin para mantê-la oculta –, Ewan não tarda a “propor-lhe” (botei entre aspas, porque na verdade ele não dá muita escolha a ela) casamento. E apesar do começo pouco amigável, o matrimônio não tarda a se mostrar vantajoso de formas que nenhum dos dois esperava. No entanto, seu inimigo não aceitará a derrota tão facilmente…

Dos livros que li da Maya Banks, este foi o que menos gostei. Aliás, preciso confessar que tive sérios problemas com os mocinhos desta série (tirando o Alaric, protagonista do segundo volume, que ganhou meu coração todinho. Ah, meu neném! No entanto, vou deixar para falar mais sobre ele em sua própria resenha). Eles são muito mandões, e isso é algo que me incomodou bastante. Até entendo que o Ewan é o laird e deve impor respeito, mas acho que demorou um pouco até começar a tratar a Mairin como deveria. A noite de núpcias dos dois também é meio complicada, ainda que tenha uma boa justificativa para a forma como as coisas acontecem (quando vocês lerem, vão entender o que quero dizer). O bom é que depois ele vive para mostrar o quão bom é na arte de dar prazer a uma mulher.

Não custa repetir que a Maya é minha autora de época favorita, então, apesar dos problemas, eu gostei muito desta história. O relacionamento de Ewan e Mairin evolui bastante, e nos livros seguintes percebemos que estão mais do que bem juntos. Inclusive, preparem-se para dar muitas risadas do medo que essa mulher (e as mulheres do clã em geral) coloca nos homens McCabe. Além disso, temos conflitos políticos interessantes e uma relação linda entre a Mairin e o Crispen, o filho de Ewan. Que menino fofo! Sério, vocês vão se apaixonar por ele. Inclusive, um dos meus lamentos sobre essa série é saber que, provavelmente, nunca teremos um livro do Crispen adulto (por mais errado que possa ser, shipei muito ele com a Gretchen, uma menina incrível que também aparece na série. Daria um braço por uma história desses dois). Portanto, deem uma chance a “Atraída por um Highlander”, vale super a pena!

Seduzida por um Highlander

Sinopse:

Maya Banks, a autora best-seller do The New York Times, cativa os leitores mais uma vez com Seduzida por um Highlander, volume 2 da série Irmãos McCabe, no qual um guerreiro indomável das Terras Altas é pego entre a lealdade e o amor proibido. Bravamente leal ao irmão mais velho, Alaric McCabe lidera o clã na luta por seus direitos e agora está pronto para se casar por dever. Porém, na viagem para pedir a mão de Rionna McDonald, filha do laird vizinho, uma emboscada é armada e Alaric é deixado para morrer. Milagrosamente, sua vida é salva pelo toque suave de um anjo das Terras Altas, uma beldade corajosa que colocará à prova a lealdade dele ao clã, a própria honra e os desejos mais profundos. Exilada de seu clã, Keeley McDonald foi traída por aqueles que amava e confiava. Quando o guerreiro ferido cai do cavalo, ela é seduzida por aquele corpo forte e esguio. O brilho misterioso nos olhos dele acende uma paixão que os seguirá de volta para o castelo de Alaric, onde o amor proibido afogará ambos nos prazeres da carne. Entretanto, à medida que a conspiração e o perigo se aproximam, Alaric precisa tomar uma decisão impossível: trairá seus laços sanguíneos em favor da mulher que ama?

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Ah, gente, que delícia encontrar um livro que tem os ingredientes que me conquistaram na série “Montgomery e Armstrong” e tornaram a Maya Banks a minha autora de romance de época favorita. Sabe quando você termina o livro com a sensação de que já fez a melhor leitura do ano? Foi o que senti aqui.

O Alaric é de longe meu mocinho favorito da trilogia. Que guerreiro sedutor, apaixonado e perfeito! Sério, terminei a leitura completamente louca por ele. Não vou superar esse homem tão cedo. E a Keeley também é uma mocinha maravilhosa, tão forte e, ao mesmo tempo, doce e sensível (apesar do temperamento terrível, em alguns momentos). Dá um aperto no peito imaginá-la tão novinha sendo injustamente expulsa do clã, graças à luxúria de um homem sem escrúpulos. Mas, ainda assim, ela não perdeu a empatia e continuou a ajudar os necessitados com suas habilidades de cura.

Este foi um casal que me encantou desde o comecinho. Sofri muito com o amor impossível dos dois, devido ao noivado do Alaric com a Rionna (em “Atraída por um Highlander”, descobrimos que o laird do clã vizinho queria uma aliança com os McCabe a fim de enfrentar seu inimigo em comum, e a melhor forma de fazer isso é por meio do casamento, portanto, como Ewan já tinha se casado, Alaric tomou seu lugar), mesmo sabendo que tudo daria certo no final.

E eu fiquei chocada com o quanto este livro é hot. Sério, muito, muito quente! Tem uma ceninha que, vou falar pra vocês, não dá pra ler em público, não. Preparem-se, o Alaric e a Keeley demoram a se render à paixão, mas depois, é fogo no parquinho. Não dá pra lembrar o Alaric sem sentir um friozinho na barriga…

Falando um pouco sobre a história, nossos mocinhos se encontram quando Alaric sofre uma emboscada a caminho do clã McDonald, onde deveria encontrar sua noiva. Seu cavalo o deixa, inconsciente e gravemente ferido, à porta da cabana de Keeley, que decide cuidar dele. Mesmo fora de si, sem conseguir diferenciar bem o que é real do que é delírio, Alaric se mostra o homem mais sensual do mundo, decidido a reivindicar o “anjo” que salvou sua vida. Não vou falar o que acontece a partir daí, mas leiam, tenho certeza de que se encantarão com este casal, sofrendo junto deles e vibrando quando finalmente encontram um final feliz nos braços um do outro.

Apaixonada por um Highlander

Sinopse:

A trilogia Irmãos McCabe, de Maya Banks – autora best-seller do The New York Times –, se encerra com uma história de laços fortes e de amor verdadeiro. O irmão mais novo da família McCabe usa a espada e a sedução para salvar o clã… e selar seu coração. Por conta do coração jovem e negligente de Caelen McCabe, seu clã quase foi destruído. Agora, priorizando a lealdade à família, ele se compromete a se casar com a noiva rejeitada pelo irmão, Alaric, e, assim, salvar a aliança instável entre os dois clãs. Embora a linda Rionna McDonald seja a esposa perfeita para qualquer homem, Caelen não confia em nenhuma mulher, principalmente naquela doce tentação que o atormenta com um desejo ardente. Como um carneirinho sacrificado no jogo de poder de seu pai, Rionna vai cumprir sua função, mas jura impedir que seu coração e seu orgulho sejam humilhados. Apesar de tudo, o calor do toque de Caelen derrete suas defesas e ela almeja as carícias sensuais de um marido que proteja suas emoções tão ferozmente quanto protege o próprio clã. Contudo, quando chega a batalha final pelo legado McCabe, o espírito guerreiro de Rionna emerge, fazendo-a provocar a ira do pai, a fúria dos inimigos e pôr a própria vida à prova a fim de mostrar a Caelen que o amor de sua esposa é precioso demais para ser menosprezado.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“Apaixonada por um Highlander” nos traz a história de Caelen, o McCabe caçula, e Rionna McDonald (finalmente essa mulher consegue se casar, ouvi um aleluia?), e foi um livro que me provocou muitas, muitas emoções.

No começo, senti pura raiva; algo para o qual eu me preparava desde o primeiro romance da série, quando conheci o Caelen. Ele é aquele personagem mais bruto, mais frio, mais seco, que quer tudo ao seu modo. E quer me ver odiar um livro, é botar um mocinho mandão e controlador, que quer que a mulher se dobre às vontades dele, em vez de aprender a respeitá-la e amá-la do jeito que ela é. DETESTO COM TODAS MINHAS FORÇAS! Admito que o Caelen tinha um motivo forte para ser daquele jeito, mas ainda assim não conseguia suportá-lo. E ele me deixava confusa, porque na intimidade, entre quatro paredes, era um fofo!

Já a Rionna é uma personagem que me cativou desde a primeira vez que apareceu: uma mulher forte e guerreira (no sentido literal da palavra, ela realmente sabe usar uma espada), mas que também acaba revelando um forte desejo de ser amada e cuidada, já que nunca soube o que era isso (os pais dela são horríveis, ainda bem que pelo menos da mãe – se é que essa mulher algum dia mereceu ser chamada assim – ela já se livrou). O que eu mais queria ver, desde “Atraída por um Highlander”, era o momento em que a Rionna dobraria o Caelen, aí, a cada vez que ela abaixava a cabeça pra ele, eu queria tacar o livro na parede. Em diversos momentos, eu desejei colocá-la num potinho, principalmente nesta cena aqui:

“O queixo de Rionna caiu ao olhar de volta para o guerreiro corpulento. Hugh era diretamente responsável por grande parte de sua habilidade. Ele lhe ensinara quase tudo que ela sabia. Derrubara-a no chão mais vezes do que ela podia contar, e sempre a instigava a levantar-se e tentar de novo.

– Ele convenceu vocês, não foi? – ela perguntou. – Não está aqui nem há uma semana e já os colocou contra mim!

(…)

Ela virou-se e viu os outros homens parados atrás de Hugh, claramente concordando com ele. Nenhum deles lutaria com ela. Segurando as lágrimas, lentamente, ela estendeu a espada para Hugh. Ele a pegou e entregou-a para um dos outros homens, e ela não esperou para ver o que fariam. Apenas virou-se e correu para longe do pátio, sem olhar para trás.

Parecia que seu peito ia explodir.

O vento soprava frio em suas faces úmidas. Lágrimas que ela não percebera congelaram em sua pele. Seu sentimento de perda era familiar. Cortava fundo e supurava como uma ferida de uma semana.

Ela se sentia terrivelmente traída, como se sua vida nunca mais fosse ser a mesma. As pessoas a quem amava, e que a amavam, foram persuadidas pelas crenças fortes de seu marido sobre o lugar de uma mulher. Desejava voltar nos dias em que corria livre e quando sua única preocupação era evitar seu pai. Sentia falta da sensação eufórica de vitória quando vencia um dos homens de seu pai com uma espada.

Lá fora, com sua espada, seus defeitos desapareciam. Ela não se sentia inadequada. Era apenas outra espada no mar de guerreiros. Forte e capaz. Não somente uma mulher que precisava de proteção.

Não era boa em sorrir e fingir ser recatada. Não tinha o traquejo social necessário para não se envergonhar ou envergonhar seu povo, e era por isso que seu pai nunca a tinha colocado diante do nariz de qualquer um que fosse importante.”

Não é de dar um aperto no peito? Só que eu não dei cinco estrelas sem motivo. O final, meus amigos… ou melhor, o clímax da história… Ai, gente! Desde “Atraída por um Highlander”, nos preparamos para o momento em que vai estourar a guerra contra Duncan Cameron, mas, juro, nunca esperei que fosse se desenrolar daquela forma. Já falei o quanto amo a Rionna? Não posso falar muito, porque corro o risco de sair algum spoiler, mas preparem-se para gritar! É tudo absolutamente maravilhoso. E o momento em que o Caelen finalmente aceita o que sente pela esposa e a forma como mostra para ela são garantias de suspiros, coração quentinho e livro favoritadíssimo. Amei demais e compensou todo o sofrimento anterior!

E é isso, meus amores! Vocês já leram algum livro dessa série? O que acharam? Agora, se não conheciam, espero que tenham ficado ao menos um pouquinho tentados a darem uma chance à trilogia e à autora, porque vale muito a pena. E sabem o melhor de tudo? Todos os romances de época dela estão disponíveis gratuitamente para quem assina o Kindle Unlimited, corram já na Amazon e baixem algum deles (ou todos de uma vez)!

Obrigada pela visita, beijos e até o próximo post! 😘😘😘

Um comentário sobre “Trilogia Os Irmãos McCabe, Maya Banks

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s