Sins For All Seasons (Desejo e Escândalo, O Amor de um Duque e A Filha do Conde), Lorraine Heath

Oi, meus amores! Como vocês estão? ❤

Eu vim falar sobre uma série de romances de época que eu já estava de olho há algum tempo, mas nunca vi um hype tão grande quanto neste começo de ano, com o lançamento de “A Filha do Conde”, o livro 3. E foi uma resenha da Paola Aleksandra, do Livros e Fuxicos (melhor canal do booktube, sim ou com certeza?), que tornou a vontade de devorá-la absolutamente irresistível. E, cara, eu só devo agradecer a todo mundo que falou sobre ela, porque é realmente maravilhosa. Eu amei demais!

“Sins For All Seasons” foge do lugar-comum ao trazer à tona as mazelas da sociedade vitoriana, e não apenas suas belezas, como normalmente acontece nas histórias que focam-se apenas em mostrar o lado glamoroso da aristocracia: os bailes, os passeios pelo Hyde Park e as festividades elegantes no campo. Aqui conhecemos o lado mais sujo, mais feio, aquele que os nobres preferiam manter sob o tapete: o dos filhos nascidos fora do casamento, considerados ilegítimos e vulgarmente chamados de bastardos. Para isso, somos apresentados aos filhos adotivos de Ettie Trewlove, uma viúva que acolhia crianças nascidas “do lado errado do lençol”. São seis no total, cada um protagonizando sua própria história. Por ora, apenas três foram publicados por aqui, mas se o burburinho desse ano significa algo, é que devemos ficar tranquilos, porque a Harlequin com certeza trará os próximos em breve.

Saibam mais sobre cada um dos irmãos e confiram minha opinião sobre seus respectivos livros a seguir…

Desejo e Escândalo

Sinopse:

Mick Trewlove é o filho bastardo do duque de Hedley, mas ninguém sabe disso. Mesmo depois de se tornar um empresário de sucesso, ele ainda busca vingança contra o homem que o abandonou. E qual a melhor forma de fazer isso do que seduzir a noiva do filho legítimo do duque? Lady Aslyn está noiva do conde Kipwick, filho único do duque de Hedley, mas se vê, inesperadamente, apaixonada pelo misterioso bilionário Mick Trewlove. Durante os passeios pelos parques de Londres, ela começa a desconfiar de que algo se esconde por trás do sorriso sedutor, mas não tem certeza. Quando os segredos são revelados, uma reviravolta inesperada surpreende Mick, que terá que escolher entre manter seu plano de vingança ou ser feliz.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Mick Trewlove é o mais velho dos irmãos, e também o mais inconformado com o destino que teve. E, graças a muito trabalho duro e a um tino incontestável para os negócios, conseguiu superar a difícil condição na qual cresceu e tornar-se um empresário de sucesso. Agora, rico e poderoso, a única coisa que falta para que se sinta completamente realizado é o reconhecimento do homem que o rejeitou ao nascer. No entanto, o inatingível duque de Hedley se recusa a admitir qualquer ligação com Mick. O empresário traça, então, o plano perfeito para obrigá-lo a fazer sua vontade, utilizando o meio-irmão para atingi-lo.

Diferentemente de Mick, Kip nasceu em berço de ouro e cresceu sendo mimado pelos pais, sem qualquer preocupação na vida. Isso o tornou um homem irresponsável e viciado em jogo, capaz de apostar tudo o que possui sem pensar nas consequências. Mick resolve dar uma forcinha para que ele atinja a ruína mais depressa, levando-o até o clube do seu irmão Aiden, após Kip ser expulso de todos os lugares “respeitáveis” de Londres, e incentivando-o a apostar mais e mais, até entregar a propriedade mais importante da família, aquela que sustenta todas as demais. Além disso, Mick planeja seduzir e desonrar a (quase) noiva do irmão. É onde seu plano tão brilhantemente arquitetado começa a desmoronar…

Aslyn é a perfeita flor inglesa: bela, delicada, dona de modos impecáveis e hábil em todas as prendas femininas consideradas indispensáveis à educação de uma dama. Todavia, o que ninguém sabe é que a jovem que foi protegida, paparicada e cercada por todos os luxos a vida inteira anseia por mais. E quando a irmã de um misterioso “cavalheiro” esbarra em seu (futuro) noivo durante um passeio pouco convencional por lugares não tão respeitáveis de Londres, ela finalmente conhece alguém disposto a guiá-la em aventuras que, de outra forma, jamais seria capaz de viver.

A cada encontro “acidental” com o novo “amigo” de Kip, o coração de Aslyn bate mais depressa, de uma forma que o homem com quem realmente deveria se casar jamais foi capaz de provocar. E ela não é a única a ser tomada por sentimentos que escapam à razão, Mick também é arrebatado pela mulher que se revela mais encantadora e incrível conforme vai conhecendo-a melhor e descobrindo as nuances da sua personalidade.

Mas será que a paixão despertada por Aslyn será capaz de frear os planos de vingança arquitetados por Mick ao longo de tantos anos, ainda mais agora que estão tão perto de serem concretizados? E será que Aslyn será capaz de perdoá-lo ao descobrir o verdadeiro motivo pelo qual aproximou-se dela? Embarquem nesta história e descubram as respostas para essas e outras perguntas. Só posso dizer que será uma jornada emocionante, que certamente aquecerá seu coração.

E para quem gosta de ser surpreendido, prepare-se, pois “Desejo e Escândalo” tem uma reviravolta impressionante. Eu preciso confessar que consegui adivinhar qual seria a grande revelação, mas nem por isso a cena deixou de me comover. Leiam e comprovem por si mesmos, garanto que valerá cada página.

O Amor de um Duque

Sinopse:

Gillie Trewlove sabe o valor da bondade de desconhecidos, já que foi abandonada ainda bebê na porta da mulher que a criou. Quando se depara com um homem sendo agredido em sua própria porta — ou melhor, no beco próximo da sua taverna —, ela não hesita em ajudá-lo. Porém, o homem é tão bonito que não pode pertencer a um lugar como Whitechapel, muito menos à cama de Gillie, na qual ele precisa ficar para se recuperar.

O duque de Thornley está tendo um péssimo dia. Ser abandonado no altar é humilhante, ser salvo de bandidos por uma mulher — ainda que uma mulher linda e corajosa — é mais ainda. Após ajudá-lo a se recuperar, Gillie concorda em acompanhá-lo pelas ruas sombrias de Londres em busca da noiva.

No entanto, cada momento juntos os leva ao limite do desejo, e faz o duque repensar sua escolha a respeito do casamento. Gillie sabe que a aristocracia nunca iria aceitar uma duquesa como ela, mas Thorne está disposto a provar que nenhum obstáculo é insuperável diante do amor de um duque.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

“O Amor de um Duque” é protagonizado por Gillie, a única irmã Trewlove que não sabe nada a respeito de seus pais biológicos – e nem deseja saber. Só pela forma como Mick e Fanny falavam dela em “Desejo e Escândalo”, já dava para saber que era uma mulher verdadeiramente fora dos padrões. A aparência, a forma como se veste, o linguajar e, principalmente, o fato de ser dona de um negócio considerado um tanto impróprio: uma taverna, local frequentado principalmente por clientes do sexo masculino. No entanto, aqui descobrimos que, por detrás da mulher forte e completamente avessa aos melindres esperados de uma dama, esconde-se um coração sensível e uma alma sedenta por amor, que revela-se quando conhece Antony Coventry, o nono duque de Thornley.

O caminho dos dois se cruza quando, após mais uma noite de expediente na taverna, Gillie ouve o que parece ser uma briga perto do estabelecimento e chega a tempo de impedir que o grupo de brutamontes termine de matar o lorde. Ela o leva para sua própria casa e decide cuidar dele até que se reestabeleça o suficiente para voltar para o lugar onde vive. Aquele poderia ser facilmente o fim da relação dos dois, mas Thorne decide aproveitar o conhecimento que Gillie tem daquela parte de Londres para solicitar sua ajuda na busca pela mulher que acabara de abandoná-lo no altar. Não que ele nutra qualquer sentimento mais forte por ela, mas precisa encontrá-la e descobrir por que tomou uma atitude tão drástica quando uma simples conversa poderia ter resolvido o assunto.

Durante as buscas, Gillie e Thorne vão se aproximando cada vez mais e descobrindo sentimentos que jamais deveriam nutrir um pelo outro, sendo eles de mundos tão diferentes. Mas quem disse que o amor liga para essas coisas? Este livro não tem tantas surpresas e reviravoltas quanto os dois outros que eu li da série, mas é tão lindo! Este é o tipo de casal pelo qual é impossível não torcer. É apaixonante a forma como Lorraine Heath construiu a relação dos dois, eu amei tanto, tanto! Não sei explicar, mas a autora tem uma forma de escrever que mexe com nosso coração, sabe?

Ah sim, não posso deixar de falar que este não é de forma alguma um livro triste, mas tem uma cena, lá perto do final, que me deu um apertinho no peito. Por mais que eu soubesse que tudo daria certo, não teve como não sentir pela Gillie. É realmente emocionante. Ainda bem que as coisas se resolvem da melhor forma possível.

Sério, leiam esta história! Tenho certeza de que se encantarão tanto quanto eu.

A Filha do Conde

Sinopse:

Era revoltante ver que ela estava ainda mais bonita do que quando a vira pela última vez, quando trocaram juras de amor e fizeram promessas que foram quebradas poucas horas depois… Os anos e a maturidade tinham acrescentado uma graça que Lavínia não possuía aos 17, quando Finn declarara o seu amor.

Será que ela ainda se lembrava dos momentos com carinho ou a memória também rasgava seu coração, como fazia com o dele? Lavínia o fizera de tolo. Nenhuma das lembranças que tinha dela deveriam ser agradáveis. Mas, em algumas noites, ainda ficava na cama encarando o teto, porque a imagem dela surgia sempre que fechava os olhos.

Cinco anos de sua vida em isolamento, e a única coisa para lhe fazer companhia, para mantê-lo são, era a lembrança que tinha dela. Aquelas memórias eram seu sustento. No começo, ele as invocava para alimentar a sede de vingança, de retribuição, mas a solidão fora aumentando até transformá-las em sonhos. As lembranças traziam a esperança de que o amor estaria esperando em algum lugar, que voltaria a tê-la, sorrindo para ele, rindo com ele, enchendo-o de alegria.

Lavínia não era mais sua – na verdade, nunca fora – mas, ainda assim, uma parte tola de si não conseguia se esquecer de quando quase a tivera, aquela garota que amara no passado.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Em “A Filha do Conde”, acompanhamos a emocionante e sofrida história de Finn e Lavinia, a mulher que abandonou Thorne no altar no livro anterior. Alternando passado e presente, Lorraine Heath nos mostra desde o instante em que os dois se conhecem, ainda jovens e inocentes, quando Finn apresenta-se na casa de Lavinia com a missão de sacrificar sua égua sob as ordens do pai da moça, após um acidente involuntariamente provocado por ela. No entanto, o apelo de Lavinia consegue demover Finn da ideia e, pela primeira vez na vida, quebrar as regras e poupar o animal. E assim, inicia-se uma linda e sincera amizade que transcende as barreiras sociais. Amizade que, mais tarde, dá origem a um amor puro, mas intenso e verdadeiro. É tão fofa essa parte, o que torna ainda mais penoso o momento em que são separados de forma tão abrupta e cruel.

Eles passam por tanta, mas tanta coisa durante esse período longe um do outro. Sério, poucas vezes vi um casal tão sofrido. E toda essa dor acaba mudando-os radicalmente, de modo que mal são capazes de reconhecer a pessoa por quem se apaixonaram quando se reencontram, sete anos depois. Existe muita mágoa, muitos mal-entendidos entre os dois, mas o amor que sentiam também não morreu. Será que serão capazes de se perdoar quando a dolorosa verdade por trás desse afastamento vier à tona?

Diferentemente de “Desejo e Escândalo”, este livro conseguiu me surpreender muito. Não com as revelações em si (sim, teremos mais de uma grande revelação), mas com o que resulta disso. Quem acha que as coisas seguirão o esperado, com certeza cairá para trás. Eu não sei dizer se gostei da forma como Lorraine Heath conduziu as situações, mas é inegável que foi imprevisível. Não vou dizer mais do que isso para não estragar a experiência de leitura de vocês, mas prometo que, se derem uma chance a esta história, serão profundamente tocados por tudo o que acontece aqui e se apaixonarão profundamente por este casal, que tanto merece encontrar a felicidade e que tão arduamente precisa lutar por ela. É o meu livro favorito da série e também um dos romances de época que mais amei ler na vida. Raramente uma história conseguiu me emocionar tanto.

Vou fechar a resenha com um quote lindo, que resume bem, não apenas o amadurecimento do amor de Finn, mas também o de Lavinia: “Você a amou como um menino, quando dá para ser feliz por coisas mais simples, quando a perseguição é mais divertida, e a captura, mais decepcionante. Agora, você a ama como homem, quando se é feliz em ter e manter, encontrar a estabilidade, não perseguir mais a felicidade, porque o que você conquistou é a melhor coisa de todas, e você sabe que nunca poderia ser melhor”.

É isso por hoje, meus amores! Vocês já leram essa série? Contem-me se amaram esses livros tanto quanto eu. E se ainda não leram, torço muito para que deem uma chance, porque, olha, vale muito a pena! Obrigada por lerem até aqui, beijos e até o próximo post! 😘😘😘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s