Spindle Cove, Tessa Dare

Oi, meus amores! Tudo bem com vocês? ❤

Há alguns meses, eu fiz um post falando de Castles Ever After e dando minha opinião sobre os três primeiros livros (confiram aqui, caso não tenham visto). Depois disso, fui ler outras coisas e só em dezembro dei uma chance a Spindle Cove também, em uma maratona literária. E, gente do céu, foi amor à primeira vista! Posso adiantar que curti ainda mais esta série do que a outra. Absolutamente maravilhosa! 😍😍😍

Os livros se passam, durante a maior parte do tempo, na encantadora vilazinha litorânea que nomeia a série. É um lugar onde mulheres de boa família, mas que possuem alguma característica que dificulte seu encaixe na sociedade em que vivem, seja uma doença, seja um comportamento escandaloso ou aspirações pouco comuns a uma dama, vão para passar o verão, o que acaba lhe rendendo a alcunha de “enseada das solteironas”. O local é regido por Susanna Finch, protagonista do primeiro romance e a filha do cavalheiro de maior importância social da região.

Em Spindle Cove, os dias seguem uma rotina bem definida: às segundas, passeios pelo campo; às terças, banhos de mar; às quartas, jardinagem; às quintas, elas atiram; e às sextas, piqueniques e outras atividades nas ruínas do castelo da região. Só que toda esta calmaria é colocada em cheque com a organização de uma milícia no local, que vem para bagunçar toda a rotina das jovens e ameaçar a reputação da vila como um lugar respeitável.

Todas as características da escrita da Tessa Dare que eu elogiei no post anterior (leveza, bom humor, sensualidade forte, rápida fluidez e personagens marcantes) mantêm-se aqui também, de modo que foi impossível não me apaixonar por tudo o que li. Agora vou apresentar individualmente cada um dos livros e novelas que compõem a série, na ordem certa de leitura (a Gutenberg publicou duas das histórias sem levar isso em conta, portanto é melhor ignorar a sequência de lançamento), e dar brevemente a minha opinião sobre eles. Fiquem comigo até o fim!

Uma Noite para se Entregar

Sinopse:

Spindle Cove é o destino de certos tipos de jovens mulheres: bem-nascidas, delicadas, tímidas, que não se adaptaram ao casamento ou que se desencantaram com ele, ou então as que se encantaram demais com o homem errado. Susanna Finch, a linda e extremamente inteligente filha única do Conselheiro Real, Sir Lewis Finch, é a anfitriã da vila. Ela lidera as jovens que lá vivem, defendendo-as com unhas e dentes, pois tem o compromisso de transformá-las em grandes mulheres, descobrindo e desenvolvendo seus talentos. O lugar é bastante pacato, até o dia em que chega o tenente-coronel do Exército Britânico, Victor Bramwell. O forte homem viu sua vida despedaçar-se quando uma bala de chumbo atravessou seu joelho enquanto defendia a Inglaterra na guerra contra Napoleão. Como sabe que Sir Lewis Finch é o único que pode devolver seu comando, vai pedir sua ajuda. Porém, em vez disso, ganha um título não solicitado de lorde, um castelo que não queria, e a missão de reunir um grupo de homens da região, equipá-los, armá-los e treiná-los para estabelecer uma milícia respeitável. Susanna não quer aquele homem invadindo sua tranquila vida, mas Bramwell não está disposto a desistir de conseguir o que deseja. Então os dois se preparam para se enfrentar e iniciar uma intensa batalha! O que ambos não imaginam é que a mesma força que os repele pode se transformar em uma atração incontrolável.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Uma Noite para se Entregar nos traz aquele tipo de casal que tem uma química tão forte, que começamos a shipá-lo desde sua interação inicial. Sério, as faíscas voam desde o primeiro e delicioso beijo trocado entre eles. A Tessa Dare acertou em cheio ao mostrar esse lado quente e sensual do nosso mocinho desde o começo, porque seria difícil se apegar a ele depois que começa a expor sua dureza. Porém, sabendo que possui essa saliência toda sob a capa rígida, ficamos loucos para vê-lo colocá-la em ação novamente.

Victor Bramwell é um homem que dedicou a vida toda à guerra e é incapaz de se imaginar tendo outra ocupação, mas um tiro colocou fim aos seus planos e, agora, ele vê-se perdido. Quando recebe um título que nunca almejou junto da tarefa de organizar uma milícia, todavia, emprega todos os seus esforços para ser bem-sucedido, uma vez que, talvez, essa seja sua única chance de mostrar que ainda é capaz de voltar ao lugar que de fato lhe pertence. Só que surge um obstáculo inesperado aos seus planos: a crescente atração pela única filha do homem de quem deseja aprovação e que, provavelmente, não aplaudirá todo esse ardor.

Suzanna é uma mulher forte e bonita que se impõe e mostra-se capaz de peitar qualquer um que ameace acabar com a paz do lugar que construiu para jovens damas fora dos padrões que, se não tivessem aquele refúgio, possivelmente seriam enviadas para lugares tenebrosos com os quais ela tem alguma familiaridade. O fato de desejar o responsável pela tal ameaça é irrelevante, é claro (ou não?). Suzanna também possui sua própria carga de sofrimento, e confesso que fiquei com o coração apertado quando descobri o que ela enfrentou no passado. No entanto, esses eventos a tornam, talvez, uma das poucas pessoas capazes de entender o novo conde de Rycliff.

Esse é o livro que mais tem participação de outros personagens que não o casal principal, e é interessante prestar atenção neles, porque a maioria ganhará sua própria história e é legal já sabermos um pouco a seu respeito de antemão. Muito amor por esta história que ficaria em terceiro lugar num ranking de preferência entre os volumes da série.

O Presente Inesperado

Sinopse:

Algumas flores desabrocham à noite…

Violet Winterbottom é uma jovem tímida, que fala seis idiomas, mas raramente levanta a voz. Sofreu uma dura decepção amorosa em silêncio total e ainda não existem cavalheiros batendo em sua porta. Não até a noite do baile de natal de Spindle Cove, quando um estranho misterioso irrompe no salão de festas e desaba aos seus pés.

Os trajes grosseiros, molhados e cobertos de sangue, a “boa” aparência do sujeito – que beirava à indecência –, e a língua estrangeira que ele falava deixariam qualquer jovem cheia de cautela. Qualquer uma, menos Violet, a única que soube desde o primeiro instante que ele não era o que aparentava, e que tem apenas uma noite para extrair os segredos daquele homem perigosamente atraente. Seria ele um contrabandista? Um fugitivo? Espião das forças inimigas?

Violet precisa das respostas até o nascer do sol, mas seu prisioneiro prefere tentar seduzi-la a se confessar. Para descobrir o que ele esconde, a jovem donzela precisará revelar seus próprios segredos e se abrir para a aventura, paixão e o impensável… amor.

Mas, cuidado! A heroína está armada, o herói pragueja em múltiplos idiomas e, juntos, aquecem uma fria noite de inverno.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

O Presente Inesperado nos traz Violet, uma personagem que, embora tenha aparecido no romance anterior, passou quase despercebida, mas aqui revela-se uma mulher incrível. Super inteligente, poliglota (além dos seis idiomas nos quais possui fluência, é capaz de entender razoavelmente inúmeros outros) e extremamente corajosa. Sofreu uma grande desilusão no passado, mas agora tem uma nova chance de viver o amor, ainda que numa situação um tanto inusitada.

Esta é minha novela favorita da série e, embora curtinha, tem todos os elementos que eu amo numa história, com o plus de possuir um misteriozinho relativo à identidade do mocinho. Levamos um tempinho para descobrir quem ele é e quais suas verdadeiras intenções, mas nem por isso deixamos de nos apegar ao personagem, afinal sua interação e os diálogos que tem com Violet são absolutamente maravilhosos.

E aqui também temos um climinha natalino delicioso, para quem gosta de histórias que se passam nessa época do ano; além de ação, sensualidade e romance na medida certa para nos encantar.

Uma Semana para se Perder

Sinopse:

O que pode acontecer quando um canalha decide acompanhar uma mulher inteligente em uma viagem?

A bela e inteligente geóloga Minerva Highwood, uma das solteiras convictas de Spindle Cove, precisa ir à Escócia para apresentar uma grande descoberta em um importante simpósio. Mas para que isso aconteça, ela precisará encontrar alguém que a leve.

Colin Sandhurst Payne, o Lorde Payne, um libertino de primeira, quer estar em qualquer lugar – menos em Spindle Cove. Minerva decide, então, que ele é a pessoa ideal para embarcar com ela em sua aventura. Mas como uma mulher solteira poderia viajar acompanhada por um homem sem reputação?

Esses parceiros improváveis têm uma semana para convencer suas famílias de que estão apaixonados, forjar uma fuga, correr de bandidos armados, sobreviver aos seus piores pesadelos e viajar 400 milhas sem se matar. Tudo isso dividindo uma pequena carruagem de dia e compartilhando uma cama menor ainda à noite. Mas durante essa conturbada convivência, Colin revela um caráter muito mais profundo que seu exterior jovial, e Minerva prova que a concha em que vive esconde uma bela e brilhante alma.

Talvez uma semana seja tempo suficiente para encontrarem um mundo de problemas. Ou, quem sabe, um amor eterno.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Uma Semana para se Perder põe os holofotes sobre Minerva, uma personagem incrível na qual ficamos de olho desde Uma Noite para se Entregar, aliás, este casal já é muito shipável desde o primeiro romance da série. Eu admiro muito a forma como Minerva corre atrás do seu sonho, ser uma geóloga reconhecida, sem se deixar esmorecer por maiores que sejam as dificuldades e apesar da total falta de apoio que recebe da mãe. Isso demonstra uma coragem e força de vontade ímpares que casam bem com a personalidade cativante que ela revela quando longe do jugo pesado de sua genitora. Criada como o patinho feio da família, contra todas as probabilidades, torna-se a primeira a encontrar o amor.

Gosto muito do Colin também. Ele é outro personagem que se destaca bastante em Uma Noite para se Entregar, com suas ideias estapafúrdias e suas trapalhadas, bem como o infortúnio de possuir um título e uma fortuna respeitáveis, mas não poder desfrutar plenamente de tudo isso, motivo que inclusive o levou a suportar a permanência em Spindle Cove sob ordens do primo (o Bram, protagonista do livro que abre a série) que administra seus bens até que complete vinte e sete anos. Todavia, é aqui que o conhecemos pra valer, e dá uma dozinha quando descobrimos sua história e o que originou o trauma que possui: ser incapaz de adormecer sem uma mulher nos braços. E apesar de sua péssima fama, ele não é um canalha insensível como aparenta, apenas um homem com medos e feridas internas, além de um libertino muito experiente. Tipo, MUITO EXPERIENTE, para sorte da Minerva, que despertará bem mais do que luxúria no coraçãozinho deste homem delicioso.

Este livro inteiro é uma grande aventura, com direito a príncipes exilados, salteadores, mocinho em perigo (exatamente o que você leu) e, consequentemente, mocinha heroína; além, é claro, de um romance ardente e arrebatador que conquista nossos corações. Simplesmente maravilhoso!

A Dama da Meia-Noite

Sinopse:

Pode um amor avassalador apagar as marcas de um passado sombrio?

Após anos lutando por sua vida, a doce professora de piano, Srta. Kate Taylor, encontrou um lar e amizades eternas em Spindle Cove. Mas seu coração nunca parou de buscar desesperadamente a verdade sobre o seu passado. Em seu rosto, uma mancha cor-de-vinho é a única marca que ela possui de seu nascimento. Não há documentos, pistas, e nem ao menos lembranças…

Depois de uma visita desanimadora para sua ex-professora, que se recusa a dizer qualquer coisa para Kate, ela conta apenas com a bondade de um morador de Spindle Cove, o misterioso, frio e brutalmente lindo, Cabo Thorne, para voltar para casa em segurança. Embora Kate inicialmente sinta-se intimidada por sua escolta, uma atração mútua faísca entre os dois durante a viagem. Ao chegar de volta à pensão onde mora, Kate fica surpresa ao encontrar um grupo de aristocratas que afirma ser sua família.

Extremamente desconfiado, Thorne propõe um noivado fictício à Kate, permitindo-lhe ficar ao seu lado para protegê-la e descobrir as reais intenções daquela família. Mas o noivado falso traz à tona sentimentos genuínos, assim como respostas às perguntas de Kate.

Acostumado com combates e campos de batalhas, Thorne se vê na pior guerra que poderia imaginar. Ele guarda um segredo sobre Kate e fará de tudo para protegê-la de qualquer mal que se atreva atravessar seu caminho, seja uma suposta família oportunista… ou até ele mesmo.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Aqui temos um casal formado por personagens completamente fora dos padrões, mas que, juntos, vivenciam uma das mais encantadoras histórias de amor que já tive o prazer de ler. Sério, me lembra muito um conto de fadas, de tão lindo que é. Ambos possuem uma ligação da qual apenas Thorne se lembra; e a devoção que ele dedica à Kate é maravilhosa e aqueceu meu coração de uma forma única. Eu nunca pensei que me apegaria tanto a alguém tão fechado e taciturno, mas dentro de si, ele esconde um coração enorme e uma imensa capacidade de amar que me conquistaram completamente.

Já Kate, nossa querida professora de piano que nasceu com uma mancha no rosto que arruína sua aparência (ou assim pensa ela) que tinha tudo para ser perfeita e a marca negativamente para a sociedade, após uma vida inteira sozinha, passa de gata borralheira a uma dama pertencente a uma família extremamente respeitável (ou não) e herdeira de uma incalculável fortuna, desde que, é claro, os aristocratas que batem à sua porta estejam dizendo a verdade. Mas já adianto que adorei esses personagens, são completamente loucos, mas me divertiram bastante enquanto folheava as páginas. Um deles, especialmente, trouxe certa representatividade que eu não esperava à história; e eu adorei esse detalhe.

A Dama da Meia-Noite possui uma trama repleta de segredos do passado e com uma carga dramática maior do que os demais livros da autora, ainda que continue cheia das cenas leves, divertidas e sensuais que caracterizam as obras da Tessa Dare. É o segundo livro que mais gosto dela e, certamente, um dos romances de época mais incríveis que já li.

Ah sim, não sei se vocês sabem, mas a Tessa Dare escreveu um capítulo bônus para esse livro, e o melhor de tudo é que ele foi traduzido para o português pela Suelen Mattos, do blog Romantic Girl, e a autora o disponibilizou em seu site oficial pra gente poder ler. Não é uma linda? Cliquem aqui para acessá-lo.

A Bela e o Ferreiro

Sinopse:

Diana Highwood estava destinada a ter um casamento perfeito, digno de flores, seda, ouro e, no mínimo, com um duque ou um marquês. Isso era o que sua mãe, a Sra. Highwood, declarava, planejando toda a vida da filha com base na certeza de que ela conquistaria o coração de um nobre. Entretanto, o amor encontra Diana no local mais inesperado. Não nos bailes de debute em Londres, ou em carruagens, castelos e vales verdejantes… O homem por quem ela se apaixona é forte como ferro, belo como ouro e quente como brasa. E está em uma ferraria…

Envolvida em uma paixão proibida, a doce e frágil Diana está disposta a abandonar todas as suas chances de um casamento aristocrático para viver esse grande amor com Aaron Dawes e, finalmente, ter uma vida livre! Livre para fazer suas próprias escolhas e parar de viver sob a sombra dos desejos de sua mãe. Há, enfim, uma fagulha de esperança para uma vida plena e feliz. Mas serão um pobre ferreiro e sua forja o “felizes para sempre” de uma mulher que poderia ter qualquer coisa? Será que ambos estarão dispostos a arriscar tudo pelo amor e o desejo?

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

A Bela e o Ferreiro nos traz Diana, uma mulher que teria tudo para brilhar na sociedade: é linda, delicada, bem-educada, porém seus problemas de saúde impedem que leve a vida de uma debutante normal. A mais bela das irmãs Highwood foi a que, até agora, passou mais batida, porém, em sua própria história, acaba revelando uma forte personalidade e enorme coragem para lutar pelo homem que ama.

Aaron não é o genro dos sonhos de nenhuma matrona da sociedade, mas nem por isso, possui menos capacidade de fazer uma mulher feliz. E quando descobre que os sentimentos que nutre por Diana são plenamente correspondidos, precisa decidir se a deixará ir ou a tornará sua para sempre (o que será que ele escolhe, hein, gente? É tão difícil de adivinhar… SQN).

É lindo ver esse amor nascendo e os dois dispostos a sacrificar tudo para vivê-lo, por maiores que sejam as barreiras sociais que os separam. Impossível não se apaixonar! E além do romance, ainda temos um misteriozinho referente ao desaparecimento de alguns objetos na pensão da vila, cuja suspeita recairá sobre a nossa mocinha. Não vou dizer se ela é ou não culpada, mas o desfecho da questão é definitivamente surpreendente e me arrancou muitas risadas. Adorei!

Uma Duquesa Qualquer

Sinopse:

Uma duquesa em busca de sua sucessora.

Um jovem duque relutante em se casar.

Uma criada que adora desafios.

O que fazer com um duque relutante em se casar? A Duquesa de Halford – e mãe de Griffin, o duque libertino, irresponsável, que deseja apenas os prazeres da vida – tem o plano perfeito. Na verdade, ela conhece o lugar perfeito… Spindle Cove.

No paraíso das jovens solteiras, a duquesa insiste para que o filho escolha uma dama. Qualquer uma. E ela a transformará na melhor duquesa de Londres. Griff, então, decide achar alguém que acabará com os planos e com a ideia maluca de forçá-lo a se casar… Ele escolhe a atendente da taverna Touro & Flor, Pauline Simms – que nunca sonhou com duques ou com casamento, mas sim com o dinheiro que possibilitaria uma mudança completa em sua vida e na vida da pobre irmã, Daniela.

O duque e a Srta. Simms estabelecem um acordo: a mãe de Griff tem uma semana para transformar a criada em uma duquesa perfeita, então Pauline deverá ser um desastre durante sete dias e, se tudo der certo (ou melhor, se tudo der completamente errado), receberá mil libras e poderá realizar o sonho de construir a própria biblioteca em Spindle Cove.

Em pouco tempo, porém, o duque é surpreendido ao conhecer Pauline e descobrir que a moça é muito mais do que uma simples atendente, e a atração entre os dois é inevitável. Mas em um mundo em que as classes sociais são o que realmente importa, vence a ambição ou o coração?

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Este é, sem dúvida, o meu livro favorito da Tessa Dare. Nós tivemos uma breve participação do mocinho no segundo volume da série, Uma Semana para se Perder, mas a mudança é tão drástica, que precisei reler o nome para ter certeza de que era o lorde certo. Inclusive, recomendo que as cenas em que ele aparece sejam relidas antes que se embargue em Uma Duquesa Qualquer, só para que eu não seja a única chocada com o contraste entre as duas fases da vida do personagem.

Griff é, provavelmente, o homem mais devasso que já vi num livro, o que o torna, logicamente, o maior ex-devasso de todos. E somente algo verdadeiramente devastador seria capaz de causar tamanha mudança em alguém. Ai, gente, não vou dar spoiler, mas tadinho do meu duque! Ele passou por uma experiência realmente terrível, talvez a pior a que alguém poderia ser submetido, mas que acabou tornando-o um homem muito melhor. Já virou um dos meus mocinhos favoritos da vida, mais perfeito só se mudasse o nome para Rhysand (o blog é meu, então, sim, vão ter que me ver aproveitar qualquer oportunidade para enaltecer meu personagem favorito da vida e a série que mais amo na vida: Corte de Espinhos e Rosas 😂😂😂).

A duquesa-viúva, mãe de Griff, nota as mudanças positivas em sua personalidade e em suas atitudes, mas não consegue se conformar com o fato de ele continuar parecendo determinado a manter a maior distância possível entre si e o altar. Por esta razão, toma uma atitude drástica: sequestra o próprio filho e o leva desacordado a Spindle Cove a fim de escolher uma noiva. É claro que ele poderia simplesmente se recusar e refazer o caminho de volta a Londres, porém, em vez disso, decide ensinar uma lição à mãe, escolhendo a pior candidata possível a duquesa: nossa querida (ou, neste ponto da história, futura querida) Pauline. Contudo, a lady é osso-duro de roer e aceita o desafio com entusiasmo. Preciso confessar que eu esperava odiar a duquesa-viúva, mas depois ela acaba revelando um lado sensível que me conquistou completamente. Já juntou-se ao rol de mamães que eu amo na literatura (Violet Bridgerton, Violeta Gusmão de Albuquerque, Molly Weasley, entre outras).

À primeira vista, Pauline pode parecer apenas uma garçonete desbocada e sem qualquer noção de etiqueta, mas conforme vamos conhecendo-a, descobrimos muito mais. E o que fez com que ela me ganhasse, foi o amor e a dedicação à sua irmã Daniele, uma garota doce e especial. Pauline tem um pai horrível, incapaz de demonstrar qualquer sentimento pelas filhas, exceto a insatisfação. Quando Griff vê como ela é tratada, toma para si a missão de tirá-la daquele inferno, dando-lhe o dinheiro necessário para que nunca mais dependa daquele monstro em troca de ser a pior dama possível quando chegar a Londres. Ela aceita o acordo, mas será que conseguirá cumpri-lo? Não vou contar, mas preciso dizer que a duquesa não é mulher de desistir daquilo que se propõe a fazer.

Com a convivência, fortes sentimentos começam a surgir entre Griff e Pauline, e a chegada da garçonete acaba se revelando providencial, não apenas para ajudar o duque em seu processo de cura, mas também para trazer os segredos de todos à tona e impedir que continuem a ser um obstáculo às relações familiares. Muitas emoções aguardam quem se aventurar nesta história, mas prometo que valerá super a pena.

Ah sim, não posso deixar de mencionar que, embora esteja redimido, o lado sensual e libertino de Griff vem à tona em momentos que fazem a temperatura subir horrores. Pensem numa mulher de sorte, e esta será Pauline. Garanto que, até o final do livro, vocês saberão recitar de cor cada titulo do nosso duque 😏😏😏

Uma Chance para o Amor

Sinopse:

Uma nevasca não possui tanta fúria quanto uma solteirona desprezada.

A senhorita Elinora Browning cresceu ansiando pelo amor do belo e inteligente cavalheiro da casa ao lado… mas ele deixou a Inglaterra sem nem olhar para trás.

Em uma noite, inspirada pela bebida, Nora despejou seu coração partido no papel e escreveu um manifesto intitulado Lorde Ashwood Perdeu sua Oportunidade, para todas as jovens que tinham sido negligenciadas pelos homens.

Depois de se tornar famosa pelo seu brilhante texto, a Srta. Browning está a caminho de Spindle Cove para dar uma palestra na biblioteca Duas Irmãs. Mas o tempo ruim atrasa sua viagem e ela é forçada a esperar a nevasca passar com o pior companheiro possível: o próprio lorde que destruiu seu coração. E desta vez ele finalmente parece notar a sua existência…

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

Dos livros que eu li da Tessa Dare, este é o que menos gostei. Por mais que seja leve, divertido e extremamente quente, marcas registradas dela, não me envolveu tanto quanto suas demais histórias, por isso dei quatro estrelas. Ainda assim, é uma ótima leitura.

Impossível não rir com o azar (ou a sorte) de Elinora quando, a caminho de Spindle Cove, tudo parece conspirar para deixá-la a sós com Dash, o homem que a magoou profundamente no passado, ainda que essa mágoa a tenha impelido a escrever um manifesto que a tornou ilustre em toda a Inglaterra, o que revelou-se algo positivo. Porém, não é assim que o lorde em questão vê as coisas, afinal a forma enfática com que Elinora o denegriu ― embora tenha usado outro nome no texto ―, e a proporção que isso tomou, não fizeram muito bem para sua imagem. Portanto, agora que estão cara a cara e uma terrível nevasca faz com que a carruagem em que viajam fique emperrada no meio da estrada, obrigando-os a passar a noite em uma cabana no meio do nada, chegou a hora do acerto de contas. E só posso descrever esse acerto como explosivo, no melhor sentido da palavra 😏😏😏

E além do casal principal, ainda temos divertidas participações dos mocinhos dos livros anteriores, enviados por Pauline em busca da escritora desaparecida. Amei ter um pouco mais deles, foi absolutamente maravilhoso, sem dúvida uma das melhores coisas da história.

Como se Livrar de um Escândalo

Sinopse:

“Não importa o quanto você tente controlar suas próprias emoções, não vai conseguir controlar as minhas.”

Na noite do baile na Mansão Parkhurst houve um encontro escandaloso na biblioteca.

Será que Lady Canby teve um caso com um criado? Ou a Srta. Fairchild tinha um romance secreto? Talvez um casal de criados tenha aproveitado o momento de distração dos patrões para se encontrarem…

Tudo o que Charlotte Highwood sabe é que não foi ela. Mas os rumores apontam o contrário. A menos que descubra a verdadeira identidade dos amantes, a jovem será forçada a se casar com o marquês Piers Brandon, também intitulado Lorde Granville – o cavalheiro mais frio, arrogante e lindo que ela já teve a infelicidade de conhecer.

Quando começam as investigações dos verdadeiros amantes envolvidos no escândalo, Piers revela esconder muitos segredos. E guarda ferozmente a verdade sobre seu passado sombrio.

O escândalo na biblioteca parecia um mistério simples de resolver, mas logo perigos perturbadores surgem na vida de Piers e Charlotte.

A paixão é intensa. O perigo é real. Charlotte arriscará tudo para provar sua inocência nesse caso escandaloso ou irá se entregar a um homem que jurou nunca amar?

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Este livro é um crossover entre Spindle Cove e Castles Ever After, mas aqui não temos nenhuma dama herdando um castelo. A ligação entre as séries se dá por meio de Piers (quem leu Diga Sim ao Marquês, com certeza se lembra do irmão de Rafe/noivo que cozinha a mocinha em banho-maria durante oito anos), mas lá não tivemos a oportunidade de ver muito do personagem, porém isso muda e aqui o conhecemos a fundo, descobrindo que possui inúmeros segredos dos quais sequer desconfiávamos. Além disso, vemos seu lado mais homão (se é que vocês me entendem 😏😏😏). Cara, adoro mocinhos que carregam uma aura de mistério e perigo em torno de si. Tipo, ADORO MESMO. É um verdadeiro afrodisíaco essa sensação de não saber o que esperar deles, e sentir isso em Piers foi um dos pontos fortes da história, ainda mais porque o imaginava como um lorde daqueles todo perfeitinhos, que não cometem erros nunca. Foi delicioso me enganar a respeito.

Já Charlotte é uma personagem que vimos crescer e, não sei vocês, mas eu admiro desde sempre, por sua sagacidade e inteligência. E ambas as características serão importantes ao longo de toda a história. Logo no começo ela já mostra a que veio, ao procurar Piers sozinha para alertá-lo acerca dos esquemas casamenteiros da mãe e que não deve se preocupar, porque ninguém espera que as maquinações da Sra. Highwood funcionem e, mais importante, ela não está nem um pouco interessada nele. Eu ri muito ao imaginar a reação de um lorde daquele cacife, acostumado a ter as mulheres aos seus pés, tanto por seu título quanto por seus outros atributos (😏), vendo uma dama tão empenhada em desdenhar de um possível enlace com ele.

Porém, as coisas não saem exatamente como Charlotte esperava, quando um casal escolhe justamente o local em que Piers e ela estão para um rápido e efusivo arroubo de luxúria. E para piorar, os pombinhos apaixonados simplesmente desaparecem no momento em que ninguém menos que sua mãe chega ali, e o escândalo faz com que Piers se sinta impelido a casar-se com ela, mas o mais surpreendente de tudo, é que ele parece bastante conformado com a ideia, para horror de Charlotte, que havia feito planos bem diferentes para si. Por esta razão, ela começa uma busca frenética para descobrir a verdadeira identidade dos amantes a tempo de impedir seu enlace com o marquês. Todavia, o que era para ser uma caçada inocente, revela-se algo muito maior, a ponto de colocar a vida dela em constante perigo. É quando Piers entra em cena para ajudá-la a solucionar esse enigma antes que tudo culmine com a morte da jovem que desperta seu desejo e, aos poucos, começa a mexer com seu coração.

Achei um desfecho fantástico pra série, um romance apaixonante, recheado de mistério e sensualidade como só Tessa Dare consegue escrever. Amei demais!

Ah sim, quase esqueci de falar que aqui também começamos a ver a Sra. Highwood com outros olhos e a compreender melhor suas atitudes.

E é tudo isso por hoje, meus amores. Vocês gostaram de conhecer essa série ou já sabiam tudo sobre ela? Concordam com o que eu disse sobre os livros ou têm uma opinião diferente? Contem tudo para mim, adoro trocar ideia com vocês! Obrigada por lerem até aqui. Beijos e até o próximo post! 😘😘😘

8 comentários sobre “Spindle Cove, Tessa Dare

  1. Menina, eu AMO essa série! UMA NOITE PARA SE ENTREGAR foi meu primeiro contato com os livros da autora e me apaixonei logo nos primeiros parágrafos. Daí, a cada livro, o amor só aumentava mais, hehe! Essa série e TDB!
    Obrigada pela referência ao meu blog, fiquei encantada aqui! ♥️

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ahhhhhh, alguém que me entende 😍😍😍
    Eu conheci primeiro Castles Ever After, mas não li porque achava que Spindle Cove tinha que ser lida primeiro e estava achando que não ia gostar tanto, e acabou que amei essa série ainda mais do que a outra ❤
    E imagina, a gente que tem que agradecer por fazer essas traduções maravilhosos para que nós, mortais, falantes de verbo to be e the books on the table, possamos ler 😂😂😂
    Beijos 😘😘😘
    PS: qual seu livro preferido desta série, estou curiosa.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ah, o meu livro favorito é o segundo, “Uma Semana Para Se Perder”. Mas o livro 1 tb chega bem perto. E o 4. E as novelas…. rsrs…. A verdade é que me encantei por todos os livros. O único que eu gostei menos foi o livro 3, “A Dama da Meia-Noite”. Não que eu não tenha gostado, mas passei raiva com o mimimi do mocinho no final e quase perdi a paciência com ele, rsrs….

      =)

      Suelen Mattos
      ______________
      ROMANTIC GIRL

      Curtido por 1 pessoa

  3. Ahhhhhhh, eu amei o Thorne e a Kate. Sim, ele me irritou perto do final, mas não a ponto de diminuir meu amor pela série rss Já a novela da Elinora, achei um pouco sem graça perto das demais obras da Tessa, mas ainda assim, gostei. Enfim, a mulher é rainha não tem jeito.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s