Resenha: A Noviça, Mirella Sichirollo Patzer

Sinopse:

Uma mulher prestes a fazer seus votos religiosos.

Uma fuga desesperada de um massacre assassino.

Um homem vem em seu socorro.

Outro se torna seu inimigo e captor.

E uma busca mortal para se reunir com seu único amor verdadeiro.

No século X em Nápoles, os sarracenos correm desenfreados, aniquilando aldeias, assassinando mulheres e crianças. Morte e desespero estão por toda parte. Sozinha no mundo, Sara é uma jovem noviça atormentada com dúvidas sobre os votos finais para se tornar freira. Quando seu convento é atacado, ela foge para salvar sua vida, caindo direto nos braços de um grupo de sarracenos que a deixam para morrer sozinha na floresta. Um cavaleiro honorável chamado Nicolo vem em seu socorro e se oferece para levá-la em segurança para Nápoles. Enquanto viajam juntos, são irresistivelmente atraídos um pelo outro. Acreditando que Sara é freira, o honorável Nicolo está dividido entre o amor e o dever de respeitar seus votos. Desolado, ele faz o que a honra exige e a liberta antes que ela possa lhe dizer a verdade, de que ela não é freira. Em sua busca de se reunir com Nicolo, ela encontra Umberto, um homem sombrio e perigoso que tem obsessão por possuí-la. Com seu intelecto afiado e seu coração, Sara deve confiar em sua própria coragem e força para escapar de seu agressor e encontrar o único homem que ela amará. Uma história que brilha com intensidade, intriga e paixão.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

Assim que li a sinopse de A Noviça, eu soube que precisava ler esta história. Quem me acompanha, sabe o quanto eu sou apaixonada por romances de época, mas os medievais, em especial, têm um cantinho VIP reservado em meu coração, assim como este livro maravilhoso também conquistou o seu.

A trama me surpreendeu de várias formas: primeiro, por ser ambientada na Itália, algo que já a difere da grande maioria das obras do gênero; segundo, pela carga emocional que carrega e a quantidade de sofrimento reservada aos protagonistas, sobretudo à nossa mocinha, Sara (a versão estrangeira é classificada como um romance dark medieval, então já podem ter uma noção do que aguardar); e terceiro, pela forma como é narrada que, em muito, me lembrou dos romances clássicos, devido à maneira como os sentimentos se desenvolvem entre o casal, algo poético, puro e até inocente, mas incrivelmente intenso. Não esperem por cenas hots e aqueles arroubos de paixão capazes de aquecer nosso sangue; aqui é tudo muito delicado, mas absolutamente bonito e cativante.

Sobre os personagens, posso dizer que Nicolo me conquistou desde sua primeira aparição, com seu jeito honrado e cavalheiresco (honrado até demais, tanto que, a certa altura da história, deu vontade de entrar no livro e dar uns tapas nele). Pensem num homem perfeito, gente! Já a Sara, preciso confessar que me irritou MUITO no começo, por, mesmo correspondendo aos sentimentos de Nicolo, ficar adiando, adiando e adiando o momento em que diria a ele que não havia feito os votos perpétuos e era apenas uma noviça. Isso acaba selando seu destino de uma forma terrível, quando, após ser deixada por Nicolo, que culpa-se por nutrir um desejo tão intenso pela mulher que acredita ser uma freira, seu caminho se cruza com Umberto, um homem completamente diferente daquele por quem se apaixonou. Seu exterior belo e a fama de herói conquistada após ser bem sucedido em inúmeras campanhas contra os sarracenos que devastam o país, bem como a maneira aparentemente cortês de tratar as mulheres por quem se interessa, ocultam um lado cruel que se revela ao ser continuamente rejeitado por Sara. Poucas vezes odiei tanto um personagem, qualquer sofrimento reservado a ele seria pouco diante de todas as maldades que foi capaz de cometer para ter nossa mocinha para si. E além desses três, conhecemos alguns secundários também, que se alternam entre bondade e maldade e, assim, vão conquistando nosso amor ou nosso ódio conforme suas ações se desenrolam.

O motivo que me fez tirar uma estrela na avaliação foi achar que Nicolo e Sara mereciam um final mais detalhado. Nunca senti tanta falta de um epílogo, passamos páginas e páginas acompanhando os sofrimentos, as dores deles, e assim que estes se findam, o mesmo acontece com o livro. Queria muito ter visto o processo de cura de Sara, como conseguiu recuperar a alegria após passar por tudo aquilo, e talvez, até um vislumbre do futuro glorioso revelado em certo sonho. Ainda assim, recomendo demais essa história linda, cheia de paixão, aventuras, alegrias e tristezas, que deixa nosso coração apertadinho em vários momentos e o aquece em outros, como uma boa obra deve fazer.

Disponível em e-book na Amazon: https://amzn.to/2R9dbAN.

2 comentários sobre “Resenha: A Noviça, Mirella Sichirollo Patzer

  1. Eu me lembro quando esse livro estava para ser lançado. Fiquei num misto de receio e curiosidade. Parece ser um livro mara mesmo, mas pela sinopse dá pra perceber que é carregado no drama. Como não curto dramas, achei melhor nem ler. Mas o que fazer com a curiosidade que ainda ficou? kkkkkk Quem sabe um dia um me animo pra ler, né?!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oiiiiiiiiii!!!
      Sim, este é um livro maravilhoso mesmo, mas como você não curte drama, não sei se recomendo pra ti, porque tem cenas bem difíceis de ler. Mas pelo menos o final é feliz, que é o que mais importa para mim XDDDDD
      Obrigada pelo comentário, beijinhos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s