Resenha | Feeling: Uma História de Amor e Sangue (Trilogia Predadores da Noite #1), Widjane Albuquerque

Sinopse:

D’ynamos de Olímpia, esse é o nome que lhe foi dado. Uma força sobrenatural que habita na Terra há milhares de anos. Sedento por vingança e sangue, ele tornou a destruição da humanidade no seu objetivo de vida… ou eternidade. Dom Olimpiakus, como é conhecido, de tempos em tempos surgia com guerras e tragédias, manipulando os crédulos com sua beleza irresistível e predatória.

Anne Richards jamais sonhou que seu antigo namorado iria preparar-lhe uma armadilha mortal. Capturada, ela sabe que não tem chance de fugir. Porém, algo inesperado se revelou diante de si, e seus anseios, talvez, pudessem ser realizados… caso ela sobrevivesse.

Quando os séculos de uma existência solitária e fria pesaram sobre as costas de Dom Olimpiakus, o impensável aconteceu. A mulher destinada a ser sua era da raça que ele mais odiava. Essa é a história de um homem frio e implacável cujo único anseio é receber de volta tudo aquilo que lhe foi roubado. E de uma mulher marcada pela eternidade.

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Eu fiquei ansiosa para ler esta trilogia desde que conheci a autora num evento promovido pela editora 3DEA no começo do ano. Sou apaixonada por romances sobrenaturais, e vampiros, especialmente, fazem meu coração bater mais forte. Quando se tem um toque hot, então, aí é receita certa para me viciar. Eu confesso que li Feeling (e Wanting) há algum tempo já, mas só agora consegui fazer a resenha. Precisava ao menos tentar passar em palavras o quanto AMEI esta história.

A primeira coisa que me chamou a atenção é que esta série possui uma mitologia própria, que é muito, muito interessante e muito bem construída. Eu sempre fui apaixonada pelos mitos gregos, e ver esse detalhe trabalhado de forma tão perfeita contribuiu bastante para o meu fascínio por tudo o que se desenvolve aqui. O início se dá há milhares de anos, quando Zeus agradava-se por ter criado o homem, e ele ainda o venerava. Contudo, a natureza humana não tardou a se corromper e logo a criatura quis se igualar a seu criador. Essa arrogância fez com que um sofrimento incomparável recaísse sobre todos os mortais, e assim eles se voltaram aos deuses uma vez mais. Em sua misericórdia, Zeus presenteou-os com um protetor: D’ynamos, uma criatura perfeita, brindada com os maiores dons que cada deus pôde lhe conceder. Eles cometeram um erro, porém, ao não chamar Hera para presenteá-lo com suas próprias bênçãos; em vez disso, então, ela plantou em seu coração sentimentos terríveis que se revelaram tão logo ele percebeu o quanto a humanidade era indigna de seus préstimos. D’ynamos deixou de lado o propósito para o qual fora criado e passou a deliciar-se com os banhos de sangue nos quais estava envolvido. Isso atraiu a ira de Zeus para ele, que o castigou impiedosamente, retirando sua humanidade e fazendo com que fosse esquecido por todos, além disso, ordenou que os deuses retirassem cada um dos presentes que haviam lhe oferecido. No entanto, Afrodite, que o amava como a um filho, retirou apenas parte do que havia concedido e disse a ele que teria tudo de volta no dia em que encontrasse sua alma gêmea. Banido para a Terra desde então, D’ynamos dedicou-se a punir os homens pelo que Zeus lhe fizera, sendo a fonte dos maiores tormentos que experimentaram ao longo de sua existência.

Já nos tempos atuais, somos apresentados a Anne, uma jovem que está prestes a concluir o doutorado em mitologia grega. Contudo, certo dia, sua vida toma um rumo terrível ao ser capturada por um ex-namorado, que com o orgulho ferido por Anne nunca ter feito sexo com ele, entrega-a a um grupo que gosta de praticar a caça… de homens e mulheres vivos. A ideia é abominável demais para ser imaginada, porém não devemos perder a esperança, pois eles cometem um grande erro: escolher as terras de Dom (o nome que D’ynamos usa atualmente) como palco desse jogo macabro. E as coisas não ficam bonitas pro lado deles quando nosso vampiro, ou melhor, nosso primordial, descobre que Anne é a mulher pela qual esperou durante tanto tempo.

Ter uma humana como companheira provoca um choque profundo em Dom, mas o ódio que sempre teve pela humanidade não pode se comparar ao que sente por ela; e esse sentimento acaba mudando drasticamente suas convicções e seu estilo de vida. Ah, gente, ele é tão lindo, tão protetor, tão… TUDO DE BOM! É impossível não se apaixonar ao acompanhar o desenvolvimento da sua relação com a Anne. Tantos anos de solidão e tanta revolta colocados de lado por uma mulher tão frágil (ao menos se comparada a ele), mas que de repente se torna tudo para aquele ser super poderoso. Ela é sua força e sua fraqueza ao mesmo tempo, capaz de despertar o seu melhor e também o seu pior, caso alguém tente machucá-la. E Dom não tarda a descobrir que mesmo todo o seu poder é insuficiente para protegê-la sozinho. É quando mais criaturas entram na história: lykhae (lobisomens), bruxas, demônios (não exatamente o que nós conhecemos como demônios), entre outras; tanto como aliadas quanto como inimigas, e uma guerra pela sobrevivência tem início. Vou parar por aqui, mas sério, vocês precisam ler. É muito bom. Recomendo demais, demais, demais! Acho que qualquer um que ame romance sobrenatural vai se encantar por essa sequência de histórias. Uma das melhores leituras do ano, com certeza.

Disponível em edição física na editora 3Dea e em e-book na Amazon: https://amzn.to/2LmYu8H.

Observação: os demais volumes da série já foram resenhados aqui.

2 comentários sobre “Resenha | Feeling: Uma História de Amor e Sangue (Trilogia Predadores da Noite #1), Widjane Albuquerque

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s