Resenha: O Arqueiro e a Senhora do Castelo (Cavaleiros das Terras Altas #2), Silvana Barbosa

Sinopse:

Blaine desde cedo precisou lutar para se impor e conquistar seu espaço no clã MacConnollyn. Com firme determinação, traçou seus objetivos, decidido a alcançá-los usando todas as armas que tivesse, desde que de forma correta e honrada. Jamais permitiria que regras absurdas, ou outras pessoas, ditassem sua vida.

Destacando-se como exímio arqueiro, conseguiu o reconhecimento almejado e a oportunidade de ter, finalmente, um lugar para chamar de seu. No entanto, acabou por defrontar-se também com uma dama que poderia fazê-lo enxergar tudo a volta de outro modo e questionar se realmente viver sob suas próprias normas era a melhor escolha.

Mas, talvez, a dama que o fazia hesitar duvidasse, do mesmo modo que ele, de seus próprios princípios e convicções. Prudence viveu toda sua vida sob leis rígidas, sempre respeitando as convenções. E o que ganhara com isso? Frustração, sofrimento, decepção.

Diante da paixão que os envolve, Blaine e Prudence devem descobrir se vale mesmo a pena continuarem seguindo os padrões que os norteiam e que, até então, julgaram corretos.

Afinal, se o amor não tem regras, por que vivê-lo teria?

Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

O Arqueiro e a Senhora do Castelo é o segundo livro da série Cavaleiros das Terras Altas (o primeiro, A Dama do Rio e o Lorde das Terras Altas, já foi resenhado aqui), escrita pela talentosíssima Silvana Barbosa, e começa mostrando a história de Blaine, que cresceu como um bastardo no clã MacConnollyn. Sua mãe fazia parte de um clã importante e engravidou de um nobre, mas infelizmente não puderam ficar juntos porque, embora a amasse, o pai de Blaine estava prometido a outra mulher, com quem teve de se casar para promover a paz entre os dois clãs. Quando o pai dela descobriu a gravidez, espancou-a ferozmente, mas graças a Deus não conseguiu provocar um aborto. Ela então fugiu para o clã de uma prima, a mãe de Alastair, protagonista do livro anterior, e começou a trabalhar para sustentar ao filho e a si. Anos depois, porém, já viúvo, o pai de Blaine descobre sua existência e vai atrás dele e da mulher que sempre amou, reconciliando-se com ambos e dando um sobrenome ao filho. A reconciliação do casal é mostrada num bônus ao final do livro. Só adianto que nunca mais veremos um bode da mesma forma 😂😂😂

Mais anos se passam, e um Blaine já adulto recebe terras do rei, além de um título de cavaleiro, como recompensa por ter salvado a vida da rainha e de suas damas ao matar, com uma flechada certeira, uma cobra que estava prestes a atacá-las. Ele parte então para sua nova propriedade, mas ao chegar ao local, descobre que já está ocupado por Prudence Campbell, uma bela jovem que sempre seguiu as convenções e deixou seu destino ser ditado por outras pessoas, mas, ao ficar viúva, resolveu tomar o controle da sua vida e reivindicar a posse das terras que sempre pertenceram à sua família. Forma-se um impasse e, como nenhum deles está disposto a ceder, são obrigados a conviver um com o outro até que o rei envie uma resposta definitiva esclarecendo quem é o verdadeiro dono da propriedade.

Eu amo casais que começam brigando, mas estes dois se entenderam rápido demais, então nem deu pra aproveitar muito as trocas de farpas. Senti um pouco de falta disso. Adoraria ter visto mais desentendimentos entre eles, é algo que costuma me divertir bastante. No entanto, apesar disso, adorei como a Silvana conduziu tudo. A desculpa de que precisavam aparentar um entendimento para que os membros de seus respectivos clãs não entrassem em conflito foi bem plausível. Além disso, Blaine é uma delícia. Senhor, como esta mulher tem sorte! Como não relevar qualquer coisa depois disso?

O livro tem cenas bem leves e calientes, mas algumas mais tensas também. O Blaine e a Prue conseguem se entender rapidamente, mas não ficam juntos com a mesma velocidade, mesmo depois de se renderem à paixão. Precisam superar alguns obstáculos, que não vou mencionar para que sejam descobertos durante a leitura, antes de terem o seu “felizes para sempre”. É um casal muito apaixonante e que combina lindamente, impossível não ser cativado por eles! E quem gosta de romances que se passam nas Highlands, com certeza vai adorar a ambientação criada pela Silvana Barbosa. É excelente, sem sombra de dúvida. Embora o primeiro livro da série continue a ser o meu favorito, eu amei ler este também.

Disponível em e-book na Amazon: https://amzn.to/2JDJxks.

Se quiser ler as resenhas dos próximos volumes da série, clique aqui.

2 comentários sobre “Resenha: O Arqueiro e a Senhora do Castelo (Cavaleiros das Terras Altas #2), Silvana Barbosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s