Vamos Falar da Diva Mary Balogh e do Apaixonante Universo de Os Bedwyns?

No primeiro post do blog, eu cheguei a mencionar que passei 3 anos numa ressaca literária terrível, lendo pouquíssimos livros (não mais do que 7 por ano) e que o principal responsável por eu recuperar minha paixão pela leitura foram os romances de época. Eu li meus primeiros livros neste gênero (Adorável Pecador, da Suzanne Enoch; Anel de Noivado, da Deborah Simmons; Boreal, a Lenda de Muitos Amores, da Marcia Reis MacEvan; e a série Novos Contos de Fadas, da Elissande Tenebrarh, que, tirando o primeiro, A Tentação do Lobo, é toda de época) ainda em 2017, embora não com tanta avidez assim. Prova disso é que li fora de ordem, coisa que eu NUNCA faço quando estou levando a leitura a sério. Uma curiosidade sobre mim, inclusive, é que já tive TOC (diagnosticado, não a mera mania de organização como alguns dizem ter) e sou muito fissurada nesta coisa de ler os livros de uma série na ordem correta e nunca conseguir abandoná-la depois de começar. Nem os livros grátis da Amazon, eu baixo se só o segundo estiver gratuito, a menos que seja uma série que eu queira muito e aí vá comprar os que antecedem ao que está de graça.

Enfim, fiz um parágrafo enorme e não entrei no assunto principal do post, mas vamos lá. O que eu queria dizer é que, como novata (atualmente não me considero mais assim, mas até o ano passado eu era) neste mundo dos apaixonados por romances de época, precisei correr atrás de conhecer as melhores séries, os autores mais badalados, aqueles considerados “obrigatórios” para todo leitor do gênero (não que eu vá ler um livro só porque todo mundo leu, mas ainda sou da opinião de que, se todo mundo fala bem de uma coisa, algum motivo deve ter; além do mais, precisava começar de algum lugar, então não me julguem) etc, aí, quando estava indo ler uma série que quase ninguém deve conhecer, chamada Os Bridgertons (sorriso irônico aqui), uma amiga me falou de Os Bedwyns. Foi quando decidi deixar a Julia Quinn pra lá (não desisti dela, apenas adiei, inclusive estou num grupo de leitura e já devo ler O Duque e Eu até o final do mês) e dar uma chance às histórias desta outra família aí, escrita por esta outra autora chamada Mary Balogh. E, minha gente, eu me apaixonei completamente. Sério, eu viciei tanto que comecei a devorar um livro atrás do outro (e olha que são muitos, como vão perceber a seguir).

Mary Balogh não é pros fracos, não. Não que a leitura seja pesada, mas suas histórias são mais densas do que a maioria das que eu li. Quem começar a ler seus livros, deve se preparar para uma narrativa extremamente poética, cheia de detalhes e com um mergulho profundo na mente e no coração dos personagens. Aqui não temos (ou não costumamos ter) mocinhos e mocinhas perfeitos, eles vêm cheios de defeitos, com medos, traumas e problemas emocionais ou mesmo físicos que precisam superar (ou assimilar sua condição e aprender a viver da melhor forma possível com ela). E é isso que eu amo nas obras dela, por mais que a fórmula usada seja a mesma em muitas histórias (preparem-se pra um grande número de casais que, por algum motivo, precisam fingir um compromisso – ou se juntar em um casamento de conveniência – e depois acabam se descobrindo apaixonados e ficando juntos; ou pra casais apreensivos quanto a uma possível gravidez resultante de suas aventuras amorosas), seus personagens são tão distintos entre si, tão interessantes e especiais, que cada romance é único e mexe com a gente de uma forma diferente.

Não é incomum que comecemos odiando um personagem e, alguns livros (ou páginas) depois, nos descubramos completamente apaixonados por ele, quando passamos a conhecê-lo melhor, suas motivações para ser da forma como é e agir da forma como age (Wulf, meu lindo e arrogante duque de Bewcastle, que o diga). Muitas vezes teremos um personagem como “antagonista” num livro e como mocinho no seguinte, outra coisa que eu, particularmente, adoro. A família Bedwyn é o exemplo perfeito, eles parecem insuportáveis (ao menos para mim) na primeira vez que aparecem em Um Verão Inesquecível, mas logo me conquistaram em suas aparições como protagonistas.

Outra coisa muito legal é que, pelas séries serem ligadas de alguma forma, sempre acabamos revendo os personagens que tanto amamos em outros livros, matando a saudade e acompanhando o aumento da família (podem considerar spoiler se quiserem, mas já aviso que este povo aqui se reproduz mais do que coelho).

Quem faz questão de fidelidade histórica e respeito aos costumes e à moda regencial, bem como um linguajar mais pomposo, por assim dizer, também vai gostar bastante dos livros dela. Por mais que a Arqueiro, responsável pela publicação dos livros da Mary Balogh aqui no Brasil, tenha o costume de adaptar bastante a linguagem para tornar a leitura mais leve e acessível a todos, ainda é possível notar um sofisticamento maior na forma que ela escreve em relação a outras autoras como a Julia Quinn, por exemplo (eu não li de fato um livro inteiro, mas já folheei bastante e estou bem familiarizada com o estilo de escrita dela).

Quem aqui gosta de final feliz? Isso também é garantido nos livros dela. Por mais tristeza que os personagens carreguem, por maior que seja sua carga de sofrimento, podemos ter certeza de que, quando chegarmos à última página, tudo terá sido esclarecido, todos os pingos estarão devidamente em cima dos is e nossos amados casais estarão juntos, mais apaixonados e alegres do que nunca.

E de mocinhas fortes e empoderadas, quem gosta? Esta é mais uma marca registrada nos livros da Mary Balogh. Por mais fiel que ela seja à época, suas personagens darão um jeito de serem fortes, independentes, responsáveis por suas escolhas (e pelas consequências dessas, quando houverem). Ela consegue criar personagens femininas muito diferentes entre si, tanto desbocadas e terríveis, como Freyja Bedwin, quanto doces e apaixonadas, como Anne Jewell; tanto mulheres com pouca familiaridade com as regras de etiqueta, como Lily, quanto damas perfeitas, como Lauren e Gwen; mas que, no entanto, conseguem, a sua maneira, conquistar sua voz e seu lugar no mundo. Qualquer uma dessas mulheres tem uma vida própria, sonhos e aspirações que não estão diretamente ligados ao homem com quem se envolve e poderia viver bem sem ele. O amor aqui vem como um complemento, nunca como a razão de vida delas. E isso é maravilhoso!!!

Uma última coisa a dizer sobre os livros da Mary Balogh é que são extremamente sensuais, mas de uma sensualidade sutil, delicada, poética, como a sua narrativa como um todo. Quem gosta de cenas de sexo puramente carnal vai se decepcionar, porque aqui, embora o desejo seja intenso e visceral, as relações íntimas costumam ser também relações de alma, com sentimentos e emoções à flor da pele. O “fazer amor” carrega nuances diferentes em cada história, de acordo com a particularidade de cada personagem e de cada situação. Cada uma dessas cenas (e podem esperar sempre duas em cada livro, nem mais, nem menos) nos provoca emoções distintas, levando às lágrimas ou ao puro arrebatamento que a beleza da descrição nos causa.

Quem chegou até aqui já tem uma noção do que esperar desta autora maravilhosa e sabe se os livros dela são ou não para si. Vou deixar a sinopse de cada um deles abaixo, mas antes, meu protesto pela Arqueiro nunca ter lançado as duas prequelas dos Bedwyns (Uma Noite de Amor e Um Verão Inesquecível) que, a meu ver, são essenciais para quem realmente quer mergulhar de cabeça no universo incrível que a Mary Balogh criou (embora cada livro seja independente e a leitura de um não seja obrigatória para o entendimento de outro, só acho que a experiência é mais rica se seguirmos a ordem correta, sem pular nenhum dos romances), que só podem ser encontrados em edições portuguesas, e também pela editora ter pulado dos Bedwyns diretamente para O Clube dos Sobreviventes, sem lançar a série Simply Quartet, que tem alguns dos meus livros preferidos da autora e cobre muitas das lacunas deixadas nos anteriores com personagens secundários como Sydnan Butler, irmão de Kit, de Um Verão Inesquecível, Anne Jewell, a mãe do “filho” de Joshua em Ligeiramente Escandalosos, Claudia Martin, também mostrada no livro da Freyja, Joseph, primo de Lauren e Neville, e cujo conflito passado em Simplesmente Perfeito influencia diretamente em certa coisa que acontece em Um Acordo e Nada Mais. Torço muito para que essas faltas sejam corrigidas num futuro não tão distante e que os fãs nacionais possam usufruir de todos os livros que acompanham a saga desses personagens tão marcantes.

Os Bedwyns

Em Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São quatro irmãos e duas irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo – e seduzem a cada página.

Uma Noite de Amor (Os Bedwyns #0.5)

Sinopse:

Numa manhã perfeita de maio… Neville Wyatt, conde de Kilbourne, aguarda a sua noiva no altar. Mas, para espanto geral, em vez da bela jovem que todos conhecem aparece uma mendiga andrajosa. Perante a nata da aristocracia, o perplexo conde olha para ela e declara que é Lily, a sua mulher! Ao olhar para aquela que em tempos desposou, que amou e perdeu nos campos de batalha de Portugal, ele compromete-se a honrar o seu compromisso… apesar do abismo que agora os separa. Até que Lily fala com franqueza… E afirma querer começar de novo… e que Neville a ame verdadeiramente. Para isso, sabe que terá de estar à altura das expectativas dele, o que a leva a aceitar ser dama de companhia da sua tia e aprender as boas maneiras. A determinada Lily rapidamente conquista a admiração da alta sociedade, demonstrando ser uma condessa à altura do seu conde. Por seu lado, Neville está disposto a tudo para provar à sua formidável mulher que o que sentiu por ela no campo de batalha foi muito mais que desejo, muito mais do que o arrebatamento de… Uma noite de amor.

Um Verão Inesquecível (Os Bedwyns #0.6)

Sinopse:

Kit Butler é um dos mais afamados solteirões de Londres, casar é a última coisa que lhe passa pela cabeça. Mas a sua família tem outros planos. Para contrariar o casamento que o pai lhe arranjou, Kit precisa de encontrar uma noiva… e depressa. Entra em cena Miss Lauren Edgeworth. Lauren foi abandonada em pleno altar pelo seu noivo, Neville Wyatt. Destroçada, decide que não voltará a passar pelo mesmo: nunca casará. O encontro entre estas duas forças da natureza é tão intenso como uma tempestade de verão… e ambos engendram um plano secreto. Lauren concorda alinhar na farsa em troca de um verão recheado de paixão e aventura. No final, ela romperá o noivado – o que afastará possíveis pretendentes – deixando-os a ambos livres. Tudo corre na perfeição, até que Kit faz o impensável: apaixona-se por Lauren. E um verão já não é suficiente para ele. Mas o tempo não para e Kit sabe que terá de apelar a mais do que as suas vulgares armas de sedução para conseguir convencer Lauren a entregar-lhe o seu coração… na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, para o resto das suas vidas.

Ligeiramente Casados (Os Bedwyns #1)

Sinopse:

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”.

Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.

Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela… a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele – o que acontecerá em quatro dias.

Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.

Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados…

Nesse primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São quatro irmãos e duas irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo – e seduzem a cada página.

Ligeiramente Maliciosos (Os Bedwyns #2)

Sinopse:

Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima.

Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor.

Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith.

Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora?

Nesse segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.

Ligeiramente Escandalosos (Os Bedwyns #3)

Sinopse:

Freyja Bedwyn é uma mulher diferente das outras damas da alta sociedade: impetuosa e decidida, ela preza a independência e a liberdade acima de qualquer coisa até mesmo do amor.

Até que o destino lhe apresenta Joshua Moore, o marquês de Hallmere, um homem cheio de charme e mistério, dono de uma beleza estonteante e de uma reputação terrível. Quando ambos se encontram a caminho da pacata cidade de Bath, a química entre os dois é imediata.

Entre encontros e desencontros, conflitos e provocações, Joshua faz uma proposta inusitada: pede que Freyja finja ser sua noiva, para evitar que uma artimanha de sua tia o leve a se casar com a própria prima.

Para uma dupla que acha graça das convenções sociais, esta parece ser a oportunidade perfeita para se divertir. Mas a brincadeira acaba trazendo consequências inesperadas. Aos poucos, suas máscaras vão caindo e ambos se revelam pessoas bem diferentes do que aparentam.

Neste terceiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh se aprofunda ainda mais nos segredos e desejos dessa família incomum e extremamente sensual.

Ligeiramente Seduzidos (Os Bedwyns #4)

Sinopse:

Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase ­Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas.

Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes – prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de ­Wulfric ­Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança.

Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém.

Em Ligeiramente Seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.

Ligeiramente Pecaminosos (Os Bedwyns #5)

Sinopse:

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia.

Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos.

Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão.

Neste quinto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh apresenta um romance repleto de humor, com personagens carismáticos que o leitor não conseguirá abandonar ao fim da história.

Ligeiramente Perigosos (Os Bedwyns #6)

Sinopse:

Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção.

Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente.

Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.

Em Ligeiramente Perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.

Simply Quartet

É a fascinante história de quatro mulheres notáveis – amigas e professoras da Escola da Senhorita Martin para Meninas. Se alguém leu o terceiro livro dos Bedwyns, pode se lembrar de que a Freyja foi visitar a escola durante sua estadia em Bath e também um segredinho que ela esconde de todos.

Simplesmente Inesquecível (Simply Quartet #1)

Sinopse:

Uma violenta tormenta de neve deixa isoladas em uma pousada das montanhas duas pessoas que, de outra forma, nunca se conheceriam.

Ele, Lucius Marshall, Visconde Sinclair, um aristocrata orgulhoso, independente e arrogante. Ela, Francês Allard, uma jovem professora decente, trabalhadora, inteligente e bonita. Nesses dois dias mágicos, Lucius descobre espantado o prazer de trabalhar com as próprias mãos, rindo e brincando na neve… e no amor com alguém que a família jamais aprovaria. Concluindo o sonho, a realidade de seus mundos diferentes é imposta e são obrigados a se separar. Mas o destino tem seus próprios planos, e depois eles se encontram novamente. Para serem felizes, ambos terão que ceder parte do mundo em que vivem. Poderão?

Simplesmente Apaixonados (Simply Quartet #2)

Sinopse:

No centro deste romance está Anne Jewell, uma professora atormentada por um passado escandaloso… Até que ela conhece um homem que lhe ensina a lição mais importante de todas: nada é simples quando se trata de amor…

Quando Anne viu Sydnam pela primeira vez, levou o maior susto de sua vida. De perfil, ele parecia o homem mais bonito do mundo, mas ao virar-se, mostrou o lado de seu corpo que a guerra tinha deixado terrivelmente desfigurado. Eles eram dois seres marcados: ele, por estilhaços franceses, ela, pela rejeição da rígida sociedade vitoriana, que não perdoa uma mulher por ser mãe solteira. Nenhum deles se interessa pelos jogos na mansão dos Bedwyn. Anne só aceita o convite para que seu filho possa estar com outras crianças. Sydnam, o administrador da propriedade, só espera que os convidados partam logo. Mas quando os dois se encontram, descobrem uma forte atração que culmina em uma noite de paixão. Diante deles se abre agora um futuro de esperança: a chance de derrubar o muro da solidão em que se refugiaram, e expor seus segredos mais íntimos.

Às vezes, as feridas do coração são mais profundas do que as da carne…

Anne vive centrada em seu trabalho como professora na escola da senhorita Martin e na criação de seu filho David, o resultado de um estupro nove anos atrás. Joshua e Freyja, primos do pai de David, sentem-se responsáveis por ela e sempre a protegeram. Agora dão um passo a mais e a convencem a ir com seu filho à mansão de verão dos Bedwyn. Anne tenta passar despercebida, mas seus anfitriões têm outros planos. Planos que têm muito a ver com o homem que cuida da mansão, um homem ferido no corpo e, o que é mais grave, em seu espírito. Anne e Sydnam são duas almas solitárias a quem o destino quis dar uma última chance… Se eles souberem aproveitá-la.

Sydnam Butler, filho do conde de Redfield e ex-soldado de Sua Majestade, ferido em combate, tinha aprendido a viver sozinho com suas cicatrizes. De vez em quando, emocionado diante da beleza agreste da paisagem de Gales, que era seu refúgio e sua prisão, esquecia-se de sua desgraça. Mas o espelho o recordava sempre que já não podia sustentar um pincel para pintar um quadro, nem podia aspirar que alguma mulher ocupasse sua cama e seu coração… Metade de seu corpo era a de um homem forte e bonito como poucos. A outra metade, a imagem distorcida de um monstro. Quando conhece Anne, descobre uma mulher capaz de ver além do horror de seu corpo e da dor que corrói sua alma.

Simplesmente Mágico (Simply Quartet #3)

Sinopse:

Em uma linda tarde de agosto, Susanne Osbourne é apresentada ao homem mais bonito que ela já encontrou e, momentos depois, sente um arrepio gelado de reconhecimento. Peter Edgeworth, Visconde de Whitleaf, é absolutamente encantador e, aparentemente, demostrava nunca ter visto Suzanne antes desse dia. Com sorriso e olhos sedutores, Peter é um libertino perfeito, mas consegue despertar nela um estranho desejo que nunca sentiu antes, e isso era tão assustador como avassalador. Ela imediatamente percebe que este nobre constitui uma séria ameaça ao seu coração e aos segredos que ela tenta desesperadamente esconder.

A partir do momento em que foram apresentados, Peter foi atraído para a independência e a beleza de Susanne, então decidiu que tinha de fazê-la sua. Mas quanto mais ele insistia, mais distante ela ficava, até que um jogo sensual de cabo de guerra acabou em uma tarde gloriosa de paixão. Agora, mais determinado do que nunca a ficar ao lado dela, Peter começa a suspeitar que uma história trágica ainda assombra Susanne. E mais perto da verdade, é que irá desafiar os mistérios de seu passado para permanecer com essa criatura tão delicada, e tudo o que Susanne deve fazer é confiar o segredo mais precioso de todos…

Simplesmente Perfeito (Simply Quartet #4)

Sinopse:

Alto, moreno e extraordinariamente sensual, ele é a personificação da perfeição masculina. Não que Claudia Martin esteja procurando um amante. Nem um marido. Como proprietária e diretora da Escola da Senhorita Martin em Bath, há muito tempo resignou-se a viver sem amor.

Até que Joseph, marquês de Attingsborough, chega sem aviso prévio, para fazê-la jogar pela janela toda uma vida de decência por uma aventura que só pode conduzi-la à ruína.

Joseph tem suas próprias razões para procurar Claudia. Irresistivelmente atraído pela delicada professora, embarca em um plano de sedução que os levará a desejar algo mais. Mas, como herdeiro de um prestigioso ducado, espera-se que Joseph continue com o legado da família. E Claudia sabe que não há lugar para ela no mundo dele.

Agora, o dito mundo está a ponto de ser sacudido pelo escândalo.

Um casamento com um segredo que irá chocar a sociedade e um homem proveniente do passado de Claudia vão conspirar para separar os amantes. Mas Joseph está decidido a fazer com que Claudia seja sua a todo custo. Embora isso signifique desafiar todas as convenções e quebrar todas as regras, por um sentimento que representa tudo que ele sempre desejou, um amor perfeito…

Era uma Vez um Sonho (Resenha aqui)

Sinopse:

A Senhorita Eleanor Thompson se sente satisfeita como diretora de uma respeitada escola para meninas. A vida de uma educadora dedicada oferece muitas recompensas e muita satisfação, mas também mais solidão do que Eleanor previu. Quando aceita o convite de sua irmã, Christine, Duquesa de Bewcastle, para assistir a uma festa em Bedwyn, jamais sonhou que o plano de estudos de verão poderia incluir beijos roubados e o amor verdadeiro.

Observação: esta novela é oficialmente nomeada como Os Bedwyns 6.5, mas a coloquei aqui porque se encaixa certinho na cronologia logo após Simplesmente Perfeito.

Clube dos Sobreviventes

Clube dos Sobreviventes é a história de seis homens e uma mulher, todos eles, feridos nas Guerras Napoleônicas, suas amizades compartilhadas durante sua recuperação em Penderris Hall, na Cornualha. Se alguém gosta de histórias com personagens sofridos, mas que encontram sua felicidade no amor, esta é a série perfeita. Todos os protagonistas (exceto os do conto O Pretendente) estão quebrados de alguma forma, seja na alma ou no corpo, mas, ao encontrar sua alma gêmea, começam a se reconstruir pouco a pouco.

PS: eu não sei se os títulos a partir do livro 6 serão mantidos quando vierem para o Brasil, são adaptações que eu fiz baseadas no padrão que a série vem mantendo até aqui.

Uma Proposta e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #1)

Sinopse:

Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela.

Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa.   

Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre. 

Primeiro livro da série Clube dos Sobreviventes, Uma Proposta e Nada Mais é uma história intensa e cativante sobre segundas chances e sobre a perseverança do amor.

O Pretendente (Clube dos Sobreviventes #1.5)

Sinopse:

Se as circunstâncias fossem diferentes, Philippa Dean ficaria feliz em se unir ao visconde Darleigh. Não há dúvidas de que ele é um cavalheiro perfeito e reúne tudo o que os pais dela desejam: tem um título, é lindo e respeitável. O fato de ter perdido a visão apenas reforça seu poder e sua força.
Mas Philippa não o ama. Seu coração já foi conquistado e só há uma decisão sensata a tomar: frustrar os planos de casamento com o visconde.
Julian Crabbe está desesperado para salvar a mulher por quem se apaixonou dois anos atrás. Na época, ele era um jovenzinho inconsequente e merecia o desprezo dos pais de Philippa. Mas agora tem todos os predicativos de um pretendente adequado e está determinado a provar isso antes que seja tarde demais.
Invadir a festa na propriedade do visconde? Ótimo. Impedir que o casal mais aguardado da temporada fique junto? Com certeza! Porque o amor não pode mais esperar.

Um Acordo e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #2)

Sinopse:

Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.

No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.

Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.

No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.

Uma Loucura e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #3)

Sinopse:

Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.

Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.

Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado.

Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de oferecer também seu coração ferido a ele? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.

Uma Paixão e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #4)

Sinopse:

Ao voltar para casa depois das Guerras Napoleônicas, Flavian, o visconde de Ponsonby, ficou arrasado ao ser abandonado pela noiva.

Agora a mulher que partiu seu coração ressurgiu, e todos estão ansiosos para que eles reatem o noivado. Exceto o próprio Flavian, que, em pânico, corre para os braços de uma jovem sensível e encantadora.

Apesar de ter sido casada por quase cinco anos, a viúva Agnes Keeping nunca se apaixonou nem quer se apaixonar. Aos 26 anos, ela prefere manter o controle de suas emoções e de sua vida. Porém, ao conhecer o carismático Flavian, fica tão arrebatada que acaba aceitando seu impetuoso pedido de casamento.

Quando descobre que Flavian se casou apenas para se vingar da antiga paixão, Agnes decide fugir. Mas o novo marido não tem a menor intenção de deixá-la partir, ainda mais após descobrir que, para sua própria surpresa, está completamente apaixonado por ela.

Uma Promessa e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #5)

Sinopse:

Ralph Stockwood sempre se orgulhou de ser um líder nato. Mas, quando convenceu os amigos a lutarem com ele nas Guerras Napoleônicas, nunca imaginou que seria o único sobrevivente.

Mesmo atormentado pela culpa, Ralph precisa seguir em frente, arranjar uma esposa e garantir um herdeiro para seu título e sua fortuna.

Desde que a participação de Chloe Muirhead na temporada de Londres terminou de forma desastrosa, ela aceitou a possibilidade de ser, para sempre, uma solteirona. Para escapar da própria família, a moça se refugia na casa da madrinha de sua mãe. Lá, conhece Ralph.

Ele precisa de uma esposa. Ela não acharia ruim encontrar um marido. Então Chloe sugere que os dois se casem, por conveniência. A condição é uma só: Ralph precisa prometer que nunca a levará de volta a Londres.

Mas, de uma hora para outra, as circunstâncias mudam. E logo fica claro que, para Ralph, o acordo foi apenas uma promessa e nada mais…

Um Beijo e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #6)

Sinopse:

Desde que testemunhou a morte de seu marido durante as guerras, Imogen, Lady Barclay, se isolou nos confins de Hardford Hall, sua casa na Cornualha. O novo proprietário não tinha interesse em assumir a sua herança, e Imogen esperava desesperadamente que ele nunca viesse perturbar a sua frágil paz.

Percival Hayes, conde de Hardford, não tem nenhum interesse nas florestas da Cornualha, mas quando ele impulsivamente decide fazer uma visita à sua propriedade lá, ele fica chocado ao descobrir que não é a pilha arruinada que ele esperava encontrar. Ele fica igualmente chocado ao encontrar a linda viúva do filho de seu antecessor.

Logo Imogen desperta em Percy uma paixão que ele nunca pensou ser capaz de sentir. Mas ele pode salvá-la de sua miséria e despertar sua alma? E o que isso significará para ele se tiver sucesso?

Amado e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #7)

Sinopse:

O último livro da série O Clube Dos Sobreviventes nos mostra como o futuro de um homem pode estar dentro do coração de um amor perdido, mas nunca esquecido…

Pela primeira vez desde a morte de sua esposa, o Duque de Stanbrook está considerando se casar de novo e finalmente abraçar a felicidade para si mesmo. Com esse pensamento, vem a imagem preciosa de uma mulher que ele conheceu brevemente um ano atrás e nunca mais viu novamente.

Dora Debbins abandonou toda a esperança de se casar quando um escândalo familiar deixou em seu poder a sua irmã mais nova. Ganhando uma vida modesta como uma professora de música, ela tinha apenas um sonho irreal. Então uma tarde, um visitante inesperado torna-o verdadeiro.

Para George e Dora, aquele primeiro encontro breve foi tão fugaz quanto inesquecível. Agora é a hora de uma segunda chance. E mesmo que o verdadeiro amor venha com um risco, quem são dois sonhadores para discutir com o destino?

Ufaaaaaa, chegamos ao fim! Não sei se alguém tirou dez horas seguidas para ler este post, mas caso sim, eu fico feliz e espero ter conseguido convencê-lo a dar uma chance a esta autora que eu amo de paixão (dá pra perceber, né? Só amando muito pra ler tudo isso de livro).

Ah sim, se alguém ficou curioso de saber, meus livros favoritos da Mary Balogh, entre os citados no post, são: Uma Noite de Amor, Ligeiramente Maliciosos, Ligeiramente Seduzidos, Ligeiramente Pecaminosos, Ligeiramente Perigosos, Simplesmente Apaixonados, Simplesmente Perfeito, Um Acordo e Nada Mais, Um Beijo e Nada Mais e, por fim, Amado e Nada Mais. Muitos, né? Fazer o que, a mulher é maravilhosa, gente. Eu não consigo me decidir entre esses todos. No entanto, o que eu mais gosto de fato é A Pérola Secreta, que não está citado aqui porque é volume único e não faz parte da cronologia de nenhuma dessas séries (inclusive, se puder achar ele em algum lugar, acho que é uma boa indicação de primeira leitura da autora). Mas já adianto que todos os livros dela são 5 estrelas para mim.

E aí, já leram algum desses livros? Contem para mim, vou adorar saber o que acharam. Beijos, até o próximo post! 😘😘😘

7 comentários sobre “Vamos Falar da Diva Mary Balogh e do Apaixonante Universo de Os Bedwyns?

  1. Bom Dia !!!!! Obrigada pelo seu post maravilhoso !!!!! Na virada do ano , nas minhas pequenas férias de verão…. me dispus a ler o Duque e Eu…. gostei bastante e acabei lendo a coleção toda em uma semana…. óbvio q alguns livros da coleção são muito melhores que outros…. larguei mão e somente qdo começou a pandemia , virei uma leitora voraz… sempre vou agradecer Julia Quinn por ter me aberto o mundo dos romances de época , mas claramente ela foi suplantada por outras …não diria melhores , mas claramente mais sensíveis…. Mary Balogh é uma delas …. amei os Bedwyns …. mas, o Clube dos Sobreviventes não me encantou, parei no 3ºlivro …. Li os Wescott e que leitura deliciosa…. porém , aguardando mais livros …acabei por reler os Bedwyns e por acaso (ou , não…. visto que queria mais livros de Mary ) acabei descobrindo a sua resenha sobre a ordem dos livros dela …. e menina…. você acabou com a minha vida…..kkkkk….. quero ler tudo certinho….na ordem certa….
    Então….novamente te agradeço….. e talvez até te xingue….. Mas , também , lerei o seu blog e espero( com certeza) …novas dicas e divagações !!!!
    Obrigada , Suzete Pazini

    Curtido por 1 pessoa

    1. Boa noite! Menina, você acredita que o WordPress colocou seu comentário na caixa de SPAM? Eu quase perdi, socorrooooo!
      E nossa, delícia achar alguém que é apaixonado pela mesma autora que a gente! Agora vc tem um monte de livros dela pra ler rss Se bem que, pelo visto, você já leu mais do que eu. Ainda não cheguei nos Westcott. Mas se quiser saber mais sobre a ordem, depois do Clube dos Sobreviventes (que pena que não gostou, eu super amei a série, principalmente o segundo e os dois últimos livros) vem o Quinteto Huxtable, que eu ainda não li e não posso opinar sobre, mas vindo da Mary, deve ser maravilhoso. Não sei ainda encaixar os Westcott na cronologia certinho.
      Julia Quinn também é maravilhosa, mas tô contigo, para mim a Mary é melhor. Eu li Os Bridgertons no ano passado, depois deste post, e foi uma experiência incrível, mas a Mary continua sendo minha autora de romance de época regencial favorita. A única autora de época que eu amo mais é a Maya Banks, mas aí é Escócia medieval, então não tem nada a ver…
      Tomara que continue por aqui. Vou adorar trocar ideias com você aqui no blog. Boa releitura! ❤️

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s