Austenapp e o Começo do meu Amor por Jane Austen

Eu sou uma daquelas raras leitoras de romances de época que nunca leram Jane Austen (ao menos é a impressão que eu tenho, ela parece ser uma unanimidade entre as autoras e leitoras que eu conheço e que, assim como eu, são apaixonadas por este gênero). E confesso que, até algumas semanas atrás, eu não tinha a intenção de mudar este quadro tão cedo. No entanto, uma coisa mudou durante este período, e foi a leitura desta preciosidade aqui:

Sinopse:

Bel e Ana Catarina são melhores amigas unidas por uma paixão em comum: Jane Austen.
Foi durante o carnaval carioca, no restaurante Norte & Angi, que a paulistana Ana Catarina conheceu o namorado, o cavalheiro que possui a barba mais sexy que ela já viu. Ela é uma estudante de jornalismo, porém, em meio período, trabalha em um pet shop, afinal ainda não está em posse de uma boa fortuna e precisa de bons rendimentos anuais para pagar a própria faculdade.
Entre problemas no trabalho, com a mãe, o padrasto violento e a infinita saudade de Rique, com quem namora à distância, Ana Catarina cria um aplicativo de namoro – o Austenapp – que vira febre entre a comunidade Janeite.
Já Bel, que é uma jovem e independente aspirante à escritora, não perde a oportunidade de criar uma conta nele para quem sabe encontrar um Darcy para chamar de seu e de quebra ouvir que ele a ama ardentemente.
Ao conseguir o dinheiro para realizar seu sonho de ir ao Jane Austen Festival, em Bath, Inglaterra, Ana Catarina não tem dúvidas de que é isso que precisa para colocar o relacionamento e a vida nos eixos.
No entanto, o que era para ser uma viagem romântica com seu amado, se torna um conjunto de mal-entendidos, e ela é persuadida pela madrinha a viajar sem o namorado.
Enquanto isso, Bel permanece na cidade maravilhosa em uma busca frenética por terminar seu TCC e resolver suas próprias, e nada fáceis, questões amorosas.
Em Bath, Ana Catarina se depara com a produção de um reality show chamado “Pemberley Hotel”, uma espécie de Big Brother Austeniano, e decide se candidatar ao confinamento, aceitando assim, viver por alguns meses como vivia sua autora favorita: sem chuveiro elétrico, micro-ondas e, principalmente, sem seu celular. Ah, e com um detalhe: rodeada de câmeras escondidas em cada canto da suntuosa propriedade. O prêmio? Uma alta soma em dinheiro que pode garantir sua estabilidade financeira. Sem contar na vista privilegiada de um alto número de cavalheiros de coxas torneadas dentro de reveladoras calças apertadas.
Será que sofrer na Terra da Rainha tem um sabor especial? E em casa de ferreiro, o espeto é mesmo de pau?
Uma história com uma boa dose de drama e beijos apaixonados, mas também do humor universalmente conhecido de Jane Austen; sobre amizade, amor e, principalmente, sobre o empoderamento feminino.

Só para falar um pouquinho do livro, antes de entrar no assunto principal do post, trata-se de um New Adult (ah sim, antes de prosseguir, preciso dizer que este livro não possui nenhum conteúdo erótico como a maioria dos que se popularizaram neste gênero), protagonizado por Ana Catarina e Bel, duas jovens universitárias com personalidades distintas, mas que tem em comum o amor por Jane Austen, o que inclusive foi responsável por aproximá-las e torná-las as melhores amigas que são no começo do livro. É muito fácil se identificar com as duas, que são muito humanas e têm uma vida comum, sonhos e problemas como qualquer um de nós.

Desde o primeiro ponto de vista de cada uma, também podemos identificar a veia feminista que possuem e que será ainda mais reforçada com o passar das páginas; e isso é feito de uma forma tão natural e sem estereótipos que assimilamos a informação sem nem perceber. Foi uma das coisas que mais fizeram eu me apegar a elas e passar a admirá-las, já que, assim como acontece a todas nós, elas passam por situações que testam a sua força, as suas convicções e a sua coragem como mulher. É importante ressaltar que elas me surpreenderam muitas vezes, por conseguirem se manter fiéis a quem são e ao que acreditam, eu não sei se teria a mesma capacidade.

Bel é uma carioca de classe média, que escreve fanfics sobre Jane Austen e está às voltas com o último ano de faculdade, o estágio em um jornal de bairro e a dificuldade de achar um tema para o TCC; tem ainda o desafio de suportar a pressão da sociedade – representada principalmente pela sua mãe, neste caso – para achar sua cara metade, o homem que vai completar sua vida (embora ela mesma se sinta perfeitamente inteira e plena sozinha, o que vai ser demonstrado de uma forma muito inusitada – ou nem tanto para quem já está familiarizado com outros livros da Katherine) com a graça de uma dama. Já a Catá é uma Instagramer paulista que estuda jornalismo, trabalha num pet shop para ajudar nas contas de casa e já teve a sorte de encontrar seu próprio Mr. Darcy: Rique, o irmão de Bel, com quem namora pela internet; enfrenta ainda o desafio de acompanhar de perto o relacionamento tóxico e abusivo de sua mãe com o padrasto Marcelo, um homem machista, agressivo e hipócrita, sem poder fazer nada (será?) enquanto a mãe continuar disposta a suportar isso calada. Esse tema, inclusive, foi abordado de forma muito verossímil, o que deixa um nó no estômago em muitas cenas.

Mas enfim, voltando a falar de Jane Austen, antes de ler este livro, eu não estava com tanta pressa para ler os livros dela, mesmo com o monte de recomendações que recebia, ou sequer sabia mais sobre a autora além de que era inglesa e havia vivido no século XIX. No entanto, isso mudou a partir das primeiras páginas de Austenapp, quando eu comecei a receber uma avalanche de informações não só sobre as obras de Jane Austen, mas também sobre a mulher incrível que ela foi. E, embora o livro não possa ser considerado didático (até porque, que livro didático trabalharia a ideia do desenvolvimento de uma espécie de tinder para fãs de Jane Austen ou a criação de um reality show que simula Pemberley e obriga os participantes a viverem como se de fato estivessem no século XIX?), eu aprendi tanto como se o fosse. Ouso até dizer que, se tivesse cara de pau para isso isso aí, bora fingir que não tenho, poderia me gabar de ser a fã número 1 de Jane Austen há muito tempo, porque já tenho bagagem suficiente para isso.

A pesquisa, minuciosa e muito bem feita, conduzida pela Katherine Salles para desenvolver este livro pode ser notada em cada parágrafo. São tantos detalhes, tantas informações jogadas aqui e ali, seja através de trechos de cartas escritas por Jane Austen e lidas pelas personagens, seja através de perguntas feitas em um desafio de conhecimento conduzido no reality show (tipo um show do milhão, mas valendo a imunidade e a liderança, ou melhor, o título de nobre da semana), seja por meio de coincidências entre a vida dos personagens deste livro e os de Jane Austen e que são sutilmente mencionadas em conversas divertidas ou até mesmo em cartas de fãs, que quando vamos ver, começamos a nos sentir especialistas no assunto (ao menos eu me sinto assim neste momento) e saímos loucos para devorar cada obra mencionada aqui. De modo que, agora, não se surpreendam se descobrirem que me converti na maior janeite de todas.

Acho que não exagero quando digo que este é um livro absolutamente INDISPENSÁVEL para qualquer fã de Jane Austen ou para aqueles que apenas desejam saber um pouco mais sobre ela ou receber aquele incentivo para finalmente colocá-la na lista de leitura (como euzinha aqui). Não é sempre que temos a oportunidade de aprender tanto através de um livro tão gostoso de ler e com personagens tão cativantes, profundos e ricos em experiências e também em diversidade.

O livro está disponível em em e-book na Amazon, neste link: https://amzn.to/2uq9mL1. Boa leitura a todos!

6 comentários sobre “Austenapp e o Começo do meu Amor por Jane Austen

    1. Siiiiiiiiiim, leia, leia mesmo. O livro é maravilhoso. Falo isso porque eu não sou a maior fã de histórias contemporâneas que mostram o dia a dia de pessoas, por assim dizer, comuns. Mas a Bel e Catarina me conquistaram desde o comecinho, me identifiquei muito com elas, sabe? Elas são muito fortes, muito incríveis e enfrentam problemas que qualquer uma de nós pode enfrentar. Eu me surpreendi muitas vezes durante a leitura, não só com elas, mas com outros personagens também. E pra tu que ama Jane Austen, vai sair da leitura ainda mais apaixonada por ela, e uma verdadeira expert. Vários trechos de obras e de cartas dela são mencionados ao longo do livro, muitas curiosidades sobre a vida dela, têm filmes que eu nem sonhava que eram inspirados em livros dela (As Patricinhas de Beverly Hills, por exemplo, que é um dos meus filmes favoritos), tem o aplicativo de namoro que causa umas situações inusitadas ao longo do livro, tem o reality show incrível. Ai ai, é maravilhoso. Só leia!!!

      Curtir

    1. Oiiiiiii *……….*
      Que bom ter você por aqui (ok, já estou parecendo aqueles cafajestes que dizem a mesma coisa para todas, mas é que eu fico realmente feliz com cada pessoinha que aparece por aqui), seja bem-vinda a este espaço onde vou compartilhar todas as loucuras que permeiam na minha cabeça ao ler um livro.
      Agora, falando desse especificamente, leia sim. A ideia do reality show foi maravilhosa mesmo, tenho certeza de que vai ficar encantada com a forma como tudo foi desenvolvido.
      Obrigada pelo comentário, beijos 😘😘😘

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s